27/12/2011

Por um 2012 de glórias

Vinícius Dias

Após um ano sofrível, os arquirrivais Cruzeiro e Atlético já se planejam para a próxima temporada. Com a reabertura do Independência e o atrativo das novas - e robustas - cotas de televisão, a expectativa é por um 2012 de glórias. Ainda assim, apesar de adotarem estratégias bastante distintas, a necessidade de mudanças é consenso entre os dirigentes belorizontinos.

A Raposa, que almeja conquistas de expressão, se desfez de atletas pouco utilizados e, em menos de três semanas, anunciou sete contratados, todos eles no perfil barato e de pouca projeção. Porém, a despeito do interesse de outros grandes clubes brasileiros, o presidente Gilvan de Pinho mantém sua palavra e, por consequência, o craque argentino Walter Montillo.

Tendo anunciado reforços para os demais setores, a diretoria cruzeirense segue em busca de atletas para a linha de frente. Os velocistas Osvaldo, que pertence ao Al-Ahli do Catar, e Marcos Aurélio, titular no Coritiba, estão em negociações. Para assumir a camisa 9 celeste, é cogitada a contratação de Walter, ex-Internacional, que está na reserva do FC Porto/POR.

Na mira atleticana...

Enquanto isso, o Galo mantém o foco em garantir a permanência dos destaques da boa campanha no returno. Pierre, que veio por empréstimo, tem acerto verbal para renovação de contrato e deve emplacar o ano de 2012 no clube. E o presidente reeleito, Alexandre Kalil, que 'tuitou' apenas duas contratações: Danilinho, que retorna após boa passagem em 2006, e Leandro Donizete, ex-Coritiba, segue em busca de reforços.

Em pauta no alvinegro está o possível retorno do artilheiro Diego Tardelli, destaque no Brasileiro de 2009, bem como as contratações de Ávine, jovem lateral que pertence ao Bahia, e Damián Escudero, meia argentino que disputou a temporada de 2011 pelo Grêmio. 

7 comentários:

  1. muito bom, to esperando osvaldo e walter

    ResponderExcluir
  2. Vale destacar que o Atlético pela primeira vez está mantendo uma base e trazendo reforços bom para a próxima temporada. Já o Cruzeiro, se trazer 3 ou 4 peças, pode montar um time forte para 2012 e brigar por títulos, junto ao seu rival. O Mequinha também vem forte para o ano que vem ao meu ver, fez algumas apostas que são boas ao meu ver, jogadores como Adeílson e Meneghel são boas apostas.

    ResponderExcluir
  3. Sempre quis ver Marcos Aurélio no Cruzeiro, mas se vier o Osvaldo nao tem problema, os dois são muito bons. O Cruzeiro vai ter que se desdobrar para montar bons times, aliás, nao só o Cruzeiro, mas todos os times fora do eixo Rio-SP, porque agora o dinheiro aumentou mais pra eles do que pra nós e se jogar no Rio ou em SP já era um atrativo por ter a mídia toda ali, agora isso vai aumentar mais ainda.

    O que eu nao quero ver é casos como o de Kléber, recebendo 600 mil por mês. O mercado está inflacionado e agora essa "técnica" que o Cruzeiro está usando vai ser ainda mais necessária, trazer jogadores que buscam aparecer no cenário nacional.

    ResponderExcluir
  4. as contrataçoes do cruzeiro sao apostas, quase sempre deram certo, esses jogadores foram destaques em seus clubes, apesar de nao terem nome de peso, to confiante, 2012 promete, sempre CRUZEIRO

    ResponderExcluir
  5. Base!? Base de times 15º e 16º. Acho que até o momento ambos os times estão montando times pra brigar pra não cair de novo. Cruzeiro tem um pouco mais de qualidades técnica (se não venderem a qualidade) mas até agora vejo times fracos se enfraquecendo.

    ResponderExcluir
  6. Vejo o Cruzeiro contratando boas peças, mas não para disputar um Brasileirão. Talvez uma Copa do Brasil se vierem Marcos Aurélio E Osvaldo.

    Quanto ao mercado cada vez mais inflacionado, a solução é mais antiga do que andar pra frente: a base.

    Não é possível que no Cruzeirão não apareçam jogadores de qualidade. Tenho muita inveja de um Atlético, por exemplo, revelando um Bernard. O Cruzeirão tem grandes promessas: Thiaguinho, Eliandro, Sebá, Elber, Gabriel Araújo, etc. Não gostaria de vê-los irem fazer sucesso em outro time, como aconteceu com Bernardo e Dudu. Está mais do que na hora da base ser mais valorizada.

    ResponderExcluir