24/01/2013

Tricolor voa, Ganso vê

Vinícius Dias

Três anos após, o desejado reencontro. O São Paulo, de Rogério Ceni, a Libertadores e a velha mística. Diante do frágil Bolívar, num Morumbi com ótimo público. Ingredientes a postos para o show tricolor... Que veio em dose quíntupla, e personificado no meia Jadson, de atuação brilhante na armação de jogadas para a tríade de atacantes: Osvaldo, Aloísio e Luís Fabiano.

'Fabuloso': dois gols na noite de 4ª
(Créditos: Wagner Carmo/Vipcomm)

O Fabuloso, disposto a apagar a atuação vexatória na primeira partida da final da Copa Sul-Americana, em 2012, e a justificar seu retorno à seleção brasileira, balançou as redes por duas vezes. Chegou, assim, ao índice de 92 gols marcados com a camisa são-paulina no Morumbi. E a goleada ainda contou com os toques de Jadson, Osvaldo, e de Rogério, com 40 anos recém-completos.

Protagonista da negociação - de compra - mais cara da história do São Paulo, Paulo Henrique Ganso assistiu, da reserva, ao show. E, discreto, entrou ao fim. Foi mais percebido somente que o adversário. Com pouca qualidade técnica e, exceto quando fora fortalecido pela altitude boliviana, nenhum futebol.

Com os 'velhos' protagonistas, o novo São Paulo vence.
O técnico Ney Franco comemora. Ganso perde espaço...

Nenhum comentário:

Postar um comentário