15/02/2013

A bola rolou na América

Tiago de Melo

O grande derrotado dessa primeira semana de Libertadores é o futebol de clubes argentino. As equipes do país fizeram uma péssima figura, com três derrotas em quatro jogos, que incluíram dois dos principais clubes do país. As coisas começaram mal na terça-feira, quando o Vélez caiu, fora de casa, frente ao Emelec. A derrota em si não é lamentável, mas a questão é que o grupo é muito difícil, e o Fortín já começou precisando reverter um mau começo.

VEJA MAIS: Galo vence na estreia

O pior momento veio na quarta. Com uma equipe completamente desorganizada e uma defesa lamentável, o Boca Juniors caiu frente aos mexicanos do Toluca, em sua própria casa. O brasileiro Sinha e o paraguaio Pájaro Benitez foram os protagonistas de uma histórica virada mexicana dentro da Bombonera, por 2 a 1, algo que não cabia nem nos piores pesadelos xeneizes.

Mas finalmente veio a primeira vitória do futebol "hermano" na atual Libertadores. Após um primeiro tempo horroroso, o excelente Ignacio Scocco comandou o Newell’s na vitória, por 3 a 1, sobre o Olimpia, que levou a equipe rosarina a um bom começo em uma chave difícil. Logo depois veio a derrota do Arsenal frente ao The Strongest. O Viaduto ia aguentando o 1 a 1, mas ficou com dois a menos na altitude de La Paz, e terminou sofrendo um gol, que causou a sofrida derrota, a terceira em quatro estreias argentinas até agora.

Uruguaios: bom início

Um pouco melhor se saíram os uruguaios. Após levar um 2 a 0 do Barcelona de Guayaquil, em casa, o Nacional conseguiu o empate, ainda que com a possível ajuda da arbitragem. E, no dia seguinte, o Peñarol venceu com superioridade os chilenos do Iquique, por 2 a 1, fora de casa.

Bem melhor foi a estréia chilena no torneio. A Universidad de Chile venceu sem maiores dificuldades o Deportivo Lara por 2 a 0, em casa, enquanto o Huachipato, campeão do último Clausura, surpreendia o continente ao derrotar o Grêmio, por 2 a 1, em Porto Alegre. A derrota do Iquique frente ao Peñarol foi o único detalhe a empanar a primeira rodada do país no torneio.

Paraguaios: decepção

Quem estreou realmente mal foi o Paraguai, com as derrotas dos gigantes Olimpia e Cerro para o Newell's e o Tolima. Falta o Libertad, que está no grupo do Palmeiras, estrear contra os argentinos do Tigre, para salvar a honra do país. Os sempre imprevisíveis colombianos ainda não disseram a que vieram. O Tolima conseguiu uma importante vitória sobre o Cerro Porteño por 2 a 1, e o Independiente Santa fé ficou no 1 a 1 contra o Real Garcilaso. Falta a estréia do Millonários contra o Tijuana, pelo grupo do Corinthians.

O Brasil tampouco justificou a fama de 'papão' nas primeiras partidas de seus clubes. Atlético Mineiro e São Paulo se enfrentaram, o Fluminense venceu o Caracas com alguma dificuldade, e o Grêmio perdeu em casa para o Huachipato. O desempate veio pela sofrida vitória do Palmeiras sobre o Sporting Cristal, em casa.

Ao fim a impressão que fica é que o futebol sul-americano é muito mais equilibrado que muitos pensam. O futebol brasileiro tem mais receita, mas ao fim tudo ainda vai ser definido em campo, em partidas imprevisíveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário