12/02/2013

Uma boa. Para os três!

Vinícius Dias

Principal ídolo e artilheiro do Palmeiras em 2012, o centroavante Hernán Barcos voltou a ganhar os holofotes na última semana... Não pelos gols, muito menos por qualquer conquista. El Pirata argentino, agora, veste a camisa do Grêmio. Que pagou aos paulistas quase € 2 milhões, além de assumir as dívidas alviverdes junto à LDU e ao jogador. O elenco dirigido por Gilson Kleina ainda recebe o quarteto: Vilson, Léo Gago, Rondinelly e Leandro Moura.

Os palestrinos não hesitam ao abrir mão da possibilidade de algo mais na disputa da Copa Libertadores da América. Ao perder a grande referência, seu apelo junto aos torcedores. Porém, ganham nomes para montar um time equilibrado e, talvez, alinhado para a conquista do objetivo maior: a volta à elite... E dão continuidade a política do barato (que, espera-se, seja bom) iniciada ao fim do ano, com a não-renovação do meia Marcos Assunção.

Na contramão, os tricolores se desfazem de nomes que ficariam fora dos planos, e trazem uma baita companhia para o (também, recém-chegado) velocista Eduardo Vargas. Se está longe de ser um atacante nota dez, Barcos é, inegavelmente, superior à média que o mercado oferece. Bem menos caro e mais aclimatado ao futebol brasileiro que outros que "dão sopa" no exterior. Além: muito disposto a batalhar para voltar à seleção argentina.

Enfim, sorriem todos: o Palmeiras, a chance de ter um time. 
O Grêmio, com Barcos, o favoritismo na Copa Libertadores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário