22/03/2013

Vai rolar la pelota

Tiago de Melo

Após cinco meses de recesso, recomeça hoje a seção sul-americana das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014. Serão duas rodadas, que podem começar a apontar para definições em um torneio que vem sendo marcado pelo grande equilíbrio.

Colômbia e Bolívia fazem o primeiro jogo do dia, às 17h, em Barranquilla. Com 16 pontos, os cafeteiros estão em terceiro lugar, um ponto apenas atrás do Equador, que folga nesta rodada. Portanto, é uma chance de ouro para a equipe da casa vencer e assumir a vice-liderança, já que os bolivianos somam apenas oito pontos e não parecem ter qualquer chance de chegar ao Mundial.

E o favoritismo colombiano tem raízes sólidas. O país conta com uma geração muito forte de jogadores do meio para o ataque, comandada pelos excelentes Falcão García e Jackson Martínez, mas contando também com nomes como James Rodríguez, Téo Gutierrez e Macnelly Torres. Desde a chegada do argentino José Pékerman, a equipe ganhou muita solidez tática e vem de uma sequência de três vitórias, contra Uruguai (por 4 a 0), Chile e Paraguai.

Clássico no Centenário

Às 19h, Uruguai e Paraguai entram em campo no Centenário, para uma partida de resultado imprevisível. A Celeste perdeu força ao longo de 2012, e hoje divide o quarto lugar com Venezuela e Chile, todos com 12 pontos (pelos critérios de desempate, a seleção charrua hoje teria de jogar uma repescagem para tentar se classificar para o Mundial).

Para os uruguaios, a grande dificuldade é sacar da equipe titular jogadores essenciais para as últimas boas campanhas internacionais, mas que estão em declínio técnico. Para a partida de hoje, Óscar Tabárez deve ter como novidade Lodeiro, do Botafogo, no lugar de Arévalo Ríos, que também passou pelo clube de General Severiano.

Do outro lado estará uma incógnita. Apontado como um dos favoritos no início do torneio, o Paraguai fracassou completamente nas primeiras rodadas, se encontrando atualmente com modestos sete pontos, na lanterna das Eliminatórias. O mau desempenho custou a cabeça do treinador Francisco Arce. Agora, sob o comando de Gerardo Pelusso, e tendo o bom ataque formado por Nelson Haedo e Óscar Cardozo, os guaranis sonham com uma campanha de recuperação.

A 'favorita' Argentina...

Às 21h, jogam Argentina e Venezuela, com favoritismo para a equipe local, líder do torneio. Alejandro Sabella finalmente conseguiu dar um padrão de jogo à albiceleste, que lidera merecidamente o torneio. No entanto, nem tudo é perfeito. A defesa segue preocupando, em especial as laterais, ocupadas por Zabaleta e Rojo, jogadores que não dão segurança aos fanáticos hinchas argentinos.

Além disso, a equipe terá dois desfalques importantíssimos: os lesionados Angel Di María e Kun Aguero, que serão substituídos por Montillo e Lavezzi. Mas não se pode ignorar a força da equipe venezuelana, que venceu o último confronto entre as duas seleções, disputado em sua casa, e hoje estaria classificada para o Mundial - um feito inédito para o país.

Fechando o dia, outra partida imprevisível reunirá Peru e Chile, às 23h10, em Lima. Após alguns bons resultados antes do torneio, os peruanos acreditavam poder lutar por uma vaga no Mundial, mas no momento possuem apenas oito pontos, e querem começar uma reação. Do lado chileno, estreia no torneio o argentino Jorge Sampaoli, que substitui o compatriota Claudio Borghi no comando técnico da Roja. A equipe teve um bom começo, mas perdeu força, e hoje estaria fora do Mundial, ainda que empatada com Venezuela e Uruguai no quarto lugar (ficaria de fora pelos critérios de desempate).

Nenhum comentário:

Postar um comentário