13/04/2013

Nacionais pela América

Diferentemente do Brasil, os demais países da América do Sul optam por um formato em que há dois torneios nacionais por ano. Em alguns casos, isso significa dois campeões nacionais a cada doze meses, como na Argentina, Paraguai, Chile, Bolívia, Colômbia e Venezuela. Em outros, há um campeão único, como no Uruguai, onde o vencedor da temporada sai do confronto entre os dois campeões, cujo ganhador enfrenta o clube de maior pontos na somatória anual. Também há o caso do Equador, onde há duas "etapas", cada uma com seu campeão, com os dois se enfrentando no fim do ano.

Uma peculiaridade é que na América do Sul o principal torneio continental, a Libertadores, é disputada inteiramente no primeiro semestre do ano. Com isso, as principais equipes de cada país privilegiam o torneio internacional nesse período, abrindo espaço para surpresas, ou ao menos para candidatos que a princípio não eram tão cotados.

Na Argentina, por exemplo, Boca Juniors e o atual campeão Vélez Sarsfield têm claramente privilegiado a Libertadores. O que abre espaço para a ascensão do Lanús, atual líder do Torneio Final. O clube granate não tem grandes estrelas, mas sob o competente comando de Guillermo Barros Schelotto mostra um futebol muito organizado e no momento desponta como ponteiro, com dois pontos de vantagem sobre o Newell’s.

Do outro lado do Rio da Prata, o Clausura uruguaio segue muito equilibrado. O Danubio lidera com 15 pontos, seguido de perto pelo Peñarol, com 14, River Plate e Defensor, com 13, Nacional e Tanque Sisley, com 12. Cenário ainda mais surpreendente é o paraguaio, onde Olimpia, Libertad e Cerro Porteño estão na Libertadores (o último vivendo uma grande crise). O líder é o Nacional, com 19 pontos, três pontos à frente do General Díaz.

No Chile quem lidera é a Unión Española, com 25 pontos, cinco à frente de O’Higgins e Universidad de Chile. Os hispanos perderam o título do último torneio por um triz, ao levar gols do Huachipato no final da decisão, perdendo a taça nos pênaltis. Mas vale notar que La U acaba de ser eliminada da Libertadores, e pode ameaçar a liderança da equipe comandada por José Luis Sierra, ex-jogador do São Paulo.

Enquanto isso, o campeonato colombiano segue com a sua tradição de equilíbrio, e tem quatro clubes empatados em primeiro lugar, todos com 17 pontos. O curioso é que dois deles disputam a Libertadores (Independiente Santa Fé e Millonarios), enquanto os demais se dedicam apenas à liga doméstica (Pasto e Itagui). A grande exceção no cenário é o Equador, cuja liga é liderada pelo Emelec, que se classificou para a fase de mata-matas da Libertadores, mas consegue liderar o torneio local com 24 pontos, seis à frente de LDU e Deportivo Quito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário