20/04/2013

Rumo às oitavas

Tiago de Melo

Com seis brasileiros e quatros argentinos entre os 16 classificados para os mata-matas, dificilmente o título da Libertadores deixará de ficar nas mãos de um dos dois gigantes continentais. Mas como o equilíbrio é a marca registrada do torneio, qualquer projeção é arriscada. O grande exemplo é o encontro entre brasileiros. O Atlético foi claramente a melhor equipe da fase de grupos, mas a derrota para o São Paulo na última rodada, o fato de reencontrar a mesma equipe nas oitavas e de ser um confronto entre gigantes brasileiros faz com que tudo possa acontecer.

Igualmente equilibrado é o confronto entre Palmeiras e Tijuana. O Verdão vem se superando por meio da entrega, mas os xolos possuem uma equipe mais forte e organizada que a do clube brasileiro. Não será surpresa se os comandados de Antonio Mohamed avançarem de fase. 

Já Corinthians x Boca, um "replay" da última final, pode até ser menos equilibrado do que se pensa. Mesmo com Carlos Bianchi e Riquelme de volta, os xeneizes ainda não se encontraram. A defesa é fraquíssima, e sofre com a bola nas costas, dada a lentidão dos zagueiros. Se conseguir fazer boas partidas, o Timão pode passar sem sofrer muito.

Vélez x Newell's é outro encontro imprevisível. Hoje são as duas melhores equipes argentinas. O Fortín tem uma defesa entrosada, o ótimo Gago no meio-campo e um ataque com muito poder de fogo. Já a Lepra tem um time sólido, contando com a participação desequilibrante de Scocco no ataque. 

Grêmio e Santa Fé também fazem um confronto complicado. Hoje a equipe colombiana joga um futebol melhor e mais consistente, mas com os ótimos jogadores que o tricolor gaúcho possui, é impossível cravar um favoritismo claro aos Cardenales.

Nacional e Garcilaso fazem o duelo de menor nível técnico das oitavas. Estreante no torneio, a equipe peruana festeja o fato de ter caído em uma chave mais simples e ter conseguido a vaga no mata-mata. O Bolso ainda não se acertou, tem tido dificuldades no Clausura uruguaio, e dificilmente pode sonhar com vôos mais altos. 

Tigre e Olimpia fazem outro encontro de prognóstico complicado. O Matador é uma equipe fraca, mas tem bons meias e surpreendeu ao se classificar fazendo cinco gols no Libertad dentro do Paraguai. O Decano liderou uma chave complicada na fase de grupos, e a princípio é favorito, ainda que tudo aponte para um duelo duríssimo.

Para o Fluminense a situação não deve ser tão complicada. O Emelec não mostrou bom futebol, e se classificou apenas em função dos quatro pontos que conseguiu nas partidas contra o Vélez. Uma vitória em casa, na estreia, e um empate com tons suspeitos, contra um Fortín muito pouco interessado em vencer os equatorianos e, com isso, classificar o Peñarol. Se o tricolor carioca conseguir jogar seu futebol, deverá se classificar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário