14/07/2013

Nem tudo é arte

André Castro

No futebol, nem tudo é arte... Ainda mais nos tempos de hoje, quando a habilidade, muitas vezes, é tratada como uma forma de desrespeito. Os atletas 'problemas' são considerados vigorosos, e fazem questão de não perder a viagem. Eles estão em todos os times. Aqui, fiz uma seleção e trago para vocês uma equipe que, com certeza, não terminaria um jogo sequer com onze jogadores.

No gol, um goleiro bicampeão brasileiro, que esteve sumido dos campos, reapareceu no São Caetano e, novamente, sumiu: Fábio Costa. Arqueiro por profissão e líbero por hobby. Fábio chegou aos 35 anos colecionando títulos e polêmicas, dentro e fora das quatro linhas. Então, a camisa 1 vai para ele.

Sérgio Ramos é o titular na lateral-direita. O jogador, que defende o Real Madrid, vem, cada vez mais, se aprimorando no fundamento 'deixada de braço'. É, sem dúvidas, um sucessor digno para Michel Salgado. Do lado esquerdo, uma improvisação. Depois de disputar a Copa, em 1998, como zagueiro, Júnior Baiano ganhou vaga na equipe para colocar à prova sua 'tesoura voadora'.

(Arte: Douglas Vogel Zimmer/Toque Di Letra)

Pepe e Materazzi formam a dupla de defensores mais temida. Pepe tem deixado a marca das suas travas em muitos jogadores que o enfrentam. Seja nos tornozelos alheios ou mesmo nas cabeças. A camisa 3 para ele. A seu lado o italiano "peito de aço", Marco Materazzi, que prefere marcar individualmente suas presas, normalmente os craques dos clubes adversários.

No meio-campo, três volantes de qualidade. Nigel de Jong, o espartano radicado na Holanda, protege a zaga com seu golpe 'this is Sparta'. Um belo chute no peito do adversário. Logo à frente aparece Felipe Mello, volante que ficou conhecido em 2010 por (quase) nocautear o holandês Robben, na Copa do Mundo. Gennaro Gattuso completa o trio. Com este, não tem conversa. Se ele te olhar feio, é certeza de que logo, logo você vai para o estaleiro.

Muita bola... e polêmicas!

Armando as jogadas, o também italiano Francesco Totti. Sua habilidade indiscutível quase o deixou de fora da lista. Porém, o talento do ídolo e capitão da Roma vai além, à contra-falta. Ao escapar de um carrinho, o meia salta, e cai com os pés no peito do seu oponente. Nada mais justo que a camisa 10.

À frente estão um uruguaio e um sueco. Luis Suárez vem surpreendendo nos últimos anos. Seja pela bela defesa na Copa do Mundo em 2010, ou por 'morder' defensores alheios, o atacante é, sem duvidas, um jogador polivalente. A seu lado, Zlatan Ibrahimovic, substituto do suspenso Luís Fabiano. Com a sua faixa preta de taekwondo na cintura, ele assume a titularidade. E derruba até seu companheiro Materazzi. Uma 'qualidade' e tanto do camisa 9.

E aí... Que tal um amistoso?

Nenhum comentário:

Postar um comentário