02/08/2013

Hora do pontapé inicial

Hoje tem início a primeira rodada do Torneio Inicial 2013, o pontapé inicial da temporada 2013/2014 do futebol argentino. E como é de praxe, ninguém sabe muito o que esperar. Afinal, o declínio do futebol de clubes do país tornou as competições muito niveladas, fato agravado pelos torneios de tiro curto, que tornam tudo ainda mais imprevisível.

Mas há algo que salta aos olhos. Desta vez a impressão geral é que os chamados grandes finalmente voltarão a ser protagonistas da liga local. Nos último anos, as más administrações levaram a seguidas conquistas dos chamados pequenos. Para se ter uma ideia, dos últimos nove torneios, apenas um foi vencido por um grande - Boca Juniors, no Apertura 2011.

Agora a situação parece diferente. O San Lorenzo, que nas últimas temporadas se preocupou essencialmente em fugir do descenso, teve uma boa temporada, manteve a base e conseguiu reforços importantes, dando esperanças à sua torcida. O mesmo vale para o Racing, coadjuvante nas últimas temporadas, mas que entra no Inicial com um plantel entrosado e com alguns reforços.

River: o favorito...

Mas, para muitos, o grande favorito do torneio é o River Plate. Comandado pelo técnico mais vencedor da história do clube, Ramón Diaz, o Milo fez um ótimo Final, lutando pelo título até o fim. Conseguiu alguns reforços de destaque, como Carbonero, Fabbro e Gutierrez, e ainda sonha com outros nomes. É candidato ao título.

Entre os grandes que disputam a principal categoria do futebol argentino (o Independiente está na B Nacional) a grande incógnita é o Boca Juniors. A equipe teve um medíocre primeiro semestre, dispensou muitos jogadores e fez poucas contratações, sendo Gago a única realmente de peso. Possivelmente não seria considerado favorito caso tivesse qualquer outro técnico. Mas, sob o comando de Carlos Bianchi, não se pode duvidar de nada.

O retorno de Verón

Entre os chamados "pequenos", os que são apontados como possíveis postulantes ao título são os mesmos dos últimos anos: Vélez, Newell's e, especialmente, o Lanús. Sob o comando de Maurício Pellegrino, e tendo Verón de volta aos gramados, o Estudiantes busca voltar a ocupar o protagonismo. Possíveis surpresas são o Godoy Cruz, sob o comando de Martin Palermo, e o Rosario Central, que em sua volta à primeira divisão conseguiu alguns bons reforços.

A situação do rebaixamento é mais previsível, já que é levada em conta a média das últimas três temporadas. Assim, clubes como Tigre, All Boys, Rafaela e, em especial, Argentinos Jrs. e Godoy Cruz entram pressionados em função dos maus resultados recentes. Os recém-ascendidos (Rosario Central, Gimnasia La Plata e Olimpo) também precisam tomar cuidado, já que não contam com pontos além dos que conquistarem na temporada que se inicia hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário