07/08/2013

Ídolos de uma só paixão!

André Castro

No mundo da bola, os grandes jogadores são normalmente marcados por grandes transferências e, em vários casos, por atuar em diversos clubes de ponta. Trajetórias como as dos lusitanos Figo e Cristiano Ronaldo, do sueco Ibrahimovic, e dos brasileiros Kaká, Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho. Sem falar no francês Zidane. Por outro lado, temos casos de jogadores que qualquer torcedor queria em seu clube, mas, apesar das propostas, seguem fieis às origens.

Pelo Brasil, temos casos como o do camisa 12 Marcos, ex-Palmeiras, que permaneceu no clube mesmo nos maus momentos, e disputou a segunda divisão em 2003. E também de Rogério Ceni, que deixa a meta titular do São Paulo apenas por lesão, e tem o interesse de se tornar dirigente do clube. Na Inglaterra, temos Jamie Carragher que se aposentou ao fim da última temporada, depois de defender os Reds de Liverpool por mais de duas décadas.

Ceni: capitão e símbolo do tricolor
(Créditos: Wander Roberto/Vipcomm)

Há ainda jogadores que são os donos dos times, como Steven Gerrard e Ryan Giggs. "O professor da Bola" da equipe de Liverpool já deixou claro que não vai sair do clube, e o mago galês, que tem 39 anos e 34 títulos, prova que ainda tem muito a acrescentar aos Diabos Vermelhos. Ambos estão desde 1987 nos clubes. E, ainda em Manchester, temos o caso de Paul Scholes. Depois de se aposentar em 2011, ele voltou aos gramados seis meses depois, para, em maio último, se retirar de modo definitivo do United.

Criando talentos - e amor

Na Espanha, o Barcelona mostra que sua escola, além de produzir ótimos jogadores, parece também produzir amor ao clube catalão. Ao todo, são quatro canteranos. Carles Puyol, Xavi Hernandez, Andrés Iniesta e Lionel Messi. Todos há mais de 12 anos de clube, e que por diversas vezes já demostraram o desejo de continuar onde foram revelados. No arquirrival Real Madrid, temos Iker Casillas, que soma 23 anos como dono da meta dos galácticos.


Fidelidade à moda italiana

Na Itália, podemos citar Francesco Totti. O grande ídolo da história da Roma é titular desde 1992, e segue há cerca de duas décadas na Loba capitolina. Il Capitano se tornou referência com a dez da Roma. E para fechar a lista, como não citar Paolo Maldini, melhor zagueiro central de todos os tempos. Mais de mil partidas pelo Milan em 31 anos na equipe rossonera, que "aposentou" sua camisa: a número 3. Manto do eterno capitão milanista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário