06/11/2013

É de Minas, é campeão!

Ricardo Diniz

O ano de 2013 tem sido especial para o torcedor de Atlético e Cruzeiro. Isso porque os dois "gigantes" do futebol de Minas superaram o fato de receberem menos dinheiro dos patrocinadores e cotas de TV e de terem torcidas menos numerosas, para colocar fim à hegemonia dos títulos dos paulistas e cariocas.

LEIA MAIS: Sucesso de capa...

Campeão Mineiro e da Copa Libertadores, o Atlético mantém o sonho de festejar o inédito título do Mundial Interclubes, no Marrocos. Enquanto o Cruzeiro, dez anos depois, deve, novamente, comemorar a conquista do Campeonato Brasileiro.

Em 2013, América ficou alvinegra
(Créditos: Bruno Cantini/Atlético-MG)

No dia 25 de julho, o Atlético alcançou a maior glória de sua história, ao bater o Olimpia, do Paraguai, e conquistar a América. A conquista não só acabou com o rótulo negativo do alvinegro, mas também foi combustível para o arquirrival buscar o Brasileirão. Coincidentemente, o Cruzeiro foi a última equipe de fora do "eixo" Rio de Janeiro e São Paulo a conquistar o troféu nacional.

Além dos gramados

A rivalidade entre Galo e Raposa não se resume aos dias de clássico. O bom momento de um dos times, por exemplo, incomoda aos torcedores e dirigentes rivais. O sucesso do "lado de cá" é convertido em cobranças e ainda motivação do "lado de lá", que logo tentará ofuscar a boa fase do velho vizinho.

Cruzeiro já prepara a festa do tri
(Créditos: Juliana Flister/Textual)

Os atleticanos começaram o ano com o estadual, que, apesar de pouco comemorado, ganha sabor especial quando festejado diante do rival. Em julho, foi a vez da Libertadores. Sonho que se tornou realidade. Agora, o Cruzeiro prepara a festa do tri nacional. Enquanto isso, o Galo pensa no Mundial, que será disputado em dezembro, no Marrocos. Se o ditado diz que "quem ri por último, ri melhor!", a verdade é que Minas teve motivos para sorrir em 2013.

Tempero à mineira!

Fato é que, neste ano, as equipes de Rio de Janeiro e São Paulo fizeram papeis de 'figurantes', enquanto Atlético e Cruzeiro dominaram o cenário nacional e sul-americano. 2013 foi um ano em que o Brasil, a América do Sul e, por que não, o planeta bola aprenderam a falar "uai", "sô", e "trem bão". Dá-lhe, Minas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário