09/02/2015

A (nova) equação do Cruzeiro

Vinícius Dias

Nos 30 minutos iniciais, Leandro Damião deu sete passes - errou três -, perdeu a bola três vezes, deu um chute a gol. Só Fábio tocou menos na bola. Na segunda etapa, o camisa 9 iniciou a jogada do gol de Willian. Embora decisivo, de novo, foi pouco acionado. No meio-campo, Henrique atuava pela quinta vez ao lado de Willian Farias, a quarta no 4-2-3-1 de Marcelo Oliveira. O empate diante da Caldense, superior em boa parte do jogo, confirmou: o Cruzeiro de 2013 e 2014 não existe mais. E o de 2015 ainda não se conhece.


Quando vai se conhecer? A resposta passa por outra pergunta. Quando o time ideal vai atuar junto pela primeira vez? Nos últimos dois anos, Willian recebia a bola e esperava Ricardo Goulart penetrar na área adversária ou procurava por Éverton Ribeiro. Henrique roubava a bola e, na maioria das vezes, passava para Lucas Silva iniciar a construção das ações ofensivas. Ante a Caldense, coube a Willian tabelar com Leandro Damião, enquanto Henrique fez a função de Lucas.

Damião deu passe para gol de Willian
(Créditos: Washington Alves/Light Press)

Com nove caras novas - e prestes a confirmar outros três reforços -, o Cruzeiro tenta se reinventar. Do meio-campo do tetra, por exemplo, só Henrique foi mantido. Willians, seu provável companheiro na segunda linha do 4-2-3-1 azul, sequer estreou. A terceira linha certamente terá Willian e De Arrascaeta. O clube ainda busca (e precisa de) um meia para disputar com o lesionado Alisson a vaga restante. Por ora, Marquinhos, Judivan e Joel vêm se revezando.

Mais reforços, menos tempo

Os reforços dão ao Cruzeiro a esperança de mais um ano de sucesso e a certeza de um time menos técnico. Pode dar certo. Mas, mais do que o meia, falta entrosamento, um reforço que não pode ser contratado. Falta também tempo. Já se foram duas rodadas do estadual e, se o time não decepciona, muito menos empolga. A terceira será nesta quarta-feira. E a Copa Libertadores, competição em que o Cruzeiro estreia no próximo dia 25, bate à porta.

Na equação, o Cruzeiro planeja somar reforços e entrosamento.
Mas não pode se esquecer da variável tempo. A cada dia menor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário