25/02/2015

Quarta, dia de cair no Horto...

Ricardo Diniz

O Galo volta a campo nesta quarta-feira, contra o mexicano Atlas, pela 2ª rodada da fase de grupos da Libertadores. Depois do revés na estreia, o time de Levir Culpi precisa dos três pontos para se livrar de um cenário complicado em relação à classificação para as oitavas de final. O torcedor alvinegro que for ao Independência terá, também, a chance de conferir o novo uniforme do clube para a temporada.


É bem verdade que, nas duas derrotas consecutivas, houve uma sucessão de erros. Desde a interpretação da tabela do estadual às escalações. O confronto contra o Democrata, por exemplo, ocorreu três dias antes da partida contra o Colo-Colo. Embora o duelo tenha sido difícil e a vitória apertada, a opção pelos atletas titulares resultou na perda de duas peças fundamentais: Marcos Rocha e Lucas Pratto. Desfalcada, a equipe perdeu para os chilenos na sequência.

Pratto: goleador argentino é desfalque
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Para não correr o risco de, mais uma vez, perder atletas por lesão, o Galo foi a campo com a equipe reserva no último domingo. O clássico contra o América confirmou a previsão de um duelo complicado. Resultado: vitória, de virada, do Coelho. Talvez seja o momento de rever alguns pontos do planejamento. Mas Levir tem crédito com a torcida e com a diretoria, em especial, após o bom trabalho da última temporada.

Cárdenas: opção no meio

O ponto positivo da partida contra o América foi a estreia do colombiano Cárdenas, que, apesar do pouco entrosamento, confirmou que tem tudo para dividir com Dátolo a responsabilidade de armar as principais jogadas ofensivas do time. Além disso, o avante André, que chegou a ser afastado do grupo principal na temporada passada, balançou as redes, mostrando que não esqueceu como fazer gols.

Cárdenas estreou no último domingo
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

O confronto com os mexicanos, hoje, é essencial para o Atlético. Em um grupo complicado, o time precisa vencer os três jogos em casa e arrancar pontos nos dois duelos que ainda fará longe de BH para não precisar de resultados dos rivais. Mas, no que depender das estatísticas, o torcedor pode ficar tranquilo quanto ao primeiro objetivo. Em 90 jogos disputados no 'novo Independência', o clube venceu 63 vezes, empatou 22 e perdeu cinco, com 193 gols marcados e 74 sofridos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário