03/02/2015


Aos 20 anos, o volante é tratado como joia por dirigentes
ligados à base celeste; contrato vai até dezembro de 2017

Vinícius Dias

Em meio ao processo de renovação do elenco estrelado, o volante Eurico, de 20 anos, é uma das principais apostas da comissão técnica. Titular no último domingo, contra o Democrata de Governador Valadares, o atleta é apontado por dirigentes ligados às categorias de base do Cruzeiro como 'sucessor natural' de Lucas Silva, negociado com o Real Madrid. E no que depender da primeira impressão, ele está preparado. Na estreia no Mineiro, Eurico foi um dos melhores em campo, com um percentual de acerto de passes superior a 95%.


"Eurico é um atleta de outro estilo. Mais pegador, que rouba mais a bola, marca mais, mas é um jogador de bom passe e está pronto", assegura o vice-presidente Márcio Rodrigues, responsável pelas categorias de base do clube, traçando um perfil do atleta. "Assim como o Lucas, era um jogador que a gente acreditava muito e sabia que ele subiria para o profissional", completa ao Blog Toque Di Letra.

Eurico foi titular na estreia da Raposa
(Créditos: Washington Alves/Light Press)

A aposta é reforçada por Bruno Vicintin, superintendente da base celeste. "Vale lembrar que no jogo em que o Cruzeiro foi campeão brasileiro, diante do Goiás, Eurico estava em campo. Então, o Marcelo tem confiança nele", afirma. Vicintin ainda destaca o papel do técnico na formação do atleta. "A transição do Eurico foi muito mais bem feita do que a do Lucas. O Marcelo Oliveira é especialista em lançar garotos. Ele estreou em um clássico com o América e vem se aclimatando", diz.

Preparado para ser titular

Confiança, para o jovem volante, é sinônimo de responsabilidade. "Venho me preparando sempre nos treinamentos, porque sei que uma hora essa oportunidade vai chegar. E, quando chegar, eu tenho que corresponder à altura para provar que tenho total condição de substituir o Lucas", diz ao Blog. "Estou tranquilo, porque sei que tudo irá acontecer naturalmente e, se Deus quiser, vai dar tudo certo", completa Eurico, confiante em mais um ano de sucesso na Toca II.

Volante cruzeirense se diz preparado
(Créditos: Site Oficial do Cruzeiro/Divulgação)

Quando o tema em pauta é a divisão dos direitos econômicos, a situação dos volantes é diferente. Conforme o presidente Gilvan de Pinho Tavares revelou na terça-feira passada, o Cruzeiro tinha apenas 10% dos direitos econômicos de Lucas, negociado com Real Madrid. No caso de Eurico, o clube tem 70%. O quadro é fruto da nova política de formação de atletas. "Todos que subiram na gestão atual, que a gente fez o contrato, subiram com o Cruzeiro sendo majoritário", explica Bruno Vicintin.

Dirigente critica 'Lei Pelé'

Mesmo no caso dos atletas recém-promovidos, manter 100% dos direitos em posse do clube é, atualmente, quase impossível, cita o dirigente. Que elege a principal vilã: a 'Lei Pelé'. "O objetivo da base é fazer com que os garotos subam sempre com a maior porcentagem possível para o clube", observa. "Mas, infelizmente, o clube fica refém às vezes. Da forma como a lei foi feita, os clubes não têm segurança nenhuma. Então, criou-se esse mecanismo, que foi colocar os agentes e os jogadores como parceiros do clube, dando porcentagens do passe", detalha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário