03/03/2015


Com contrato até abril de 2016, capitão pretende estender
permanência no Cruzeiro; agente fala em mais quatro anos

Vinícius Dias

Em agosto passado, o goleiro Fábio sinalizou a possibilidade de deixar os gramados ao término de seu contrato com o Cruzeiro, em abril de 2016. Sete meses depois, o cenário ganhou novos contornos. Capitão do time celeste nas conquistas dos brasileiros de 2013 e 2014, o goleiro planeja estender sua permanência na Toca da Raposa. Com 611 jogos, Fábio é o segundo atleta que mais vezes defendeu a equipe, superado apenas pelo ex-atacante Zé Carlos.


Em meados de fevereiro, houve uma reunião preliminar entre o camisa 1 e seu empresário, João Sérgio, para traçar o futuro. A previsão é de que a discussão seja retomada neste mês. "A gente troca ideias, analisa o que foram esses últimos meses e vamos chegar a um denominador comum", afirma o agente em entrevista ao Blog Toque Di Letra. Logo a seguir devem ser iniciadas as tratativas com o Cruzeiro. A intenção do atleta é antecipar a renovação com o clube.

Camisa 1 pretende continuar na Toca
(Créditos: Washington Alves/Light Press)

A possibilidade de Fábio abandonar o futebol em 2016 está praticamente descartada. "Esta hipótese foi (cogitada) em um momento de tristeza que ele estava. A gente tem que respeitar. Mas um jogador com a qualidade técnica dele, e no momento em que está, pode seguir jogando em alta performance", pontua João. Poupado contra o Tupi, no último sábado, o arqueiro volta a campo nesta terça-feira, em partida contra o Huracán, da Argentina, no Mineirão.

'Eterno para a torcida', diz agente

Quando o assunto é a renovação, a intenção do staff do capitão celeste é formatar um vínculo por, pelo menos, mais quatro temporadas. "Ele está feliz. É o ídolo maior do clube, batendo recordes a cada momento, vai se tornar o maior da história em número de jogos. Particularmente penso, e tenho a certeza de que ele também, que o Fábio é como Rogério Ceni, Marcos, eterno para a torcida e para o clube. Ele tem de continuar dentro do clube", justifica João Sérgio.

Gilvan comparou Fábio a Rogério Ceni
(Créditos: Site Oficial do Cruzeiro/Divulgação)

Em entrevista concedida ao Blog no fim do mês de janeiro, o presidente Gilvan de Pinho Tavares, também comparou a história do camisa 1 à do são-paulino Rogério Ceni. "Ele gostou do Cruzeiro, tem um bom salário, e as propostas que vieram não fizeram com que ele voltasse a cabeça para sair do clube. Mas isso, hoje, é a coisa mais difícil. Acho que só Fábio e Rogério Ceni", avaliou o mandatário cruzeirense, em meio ao processo de reformulação do elenco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário