05/05/2015

'Eu acredito' versão 2015

Ricardo Diniz

A versão 2015 do mantra atleticano 'eu acredito' teve início mais cedo do que o torcedor imaginava. Foi preciso utilizar o estoque ainda na primeira fase da Copa Libertadores. Isso para não dizer que o Galo ainda precisou reverter resultado contra o Cruzeiro na semifinal do Campeonato Mineiro, antes de avançar até a decisão diante da Caldense, equipe sensação da última edição do torneio.


Nesta quarta-feira, Atlético e Internacional abrem o duelo por vaga nas quartas de final do torneio continental. E dessa vez o time alvinegro não pode se dar ao luxo de esperar a partida de volta para fazer o resultado. Será necessário fazer a vantagem em casa e, depois, decidir fora. Para a partida, a equipe terá Marcos Rocha de volta à lateral-direita, mas não vai contar com os passes precisos de Guilherme, que se lesionou na primeira partida da final mineira.

Galo e Inter foram campeões estaduais
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

As duas equipes chegam com moral após conquistarem os títulos locais. O Atlético levantou o seu 43º troféu de campeão mineiro após derrotar a Caldense, sensação do torneio, por 2 a 1. Já o Inter teve pela frente seu maior rival, Grêmio, e ficou com a taça de campeão gaúcho, também pela 43ª vez, vencendo o confronto decisivo por 2 a 1.

Recordações distintas

Os times têm recordações diferentes de recentes confrontos nacionais na Libertadores. Na última vez em que teve pela frente um time brasileiro, no ano de 2012, o Colorado foi eliminado - empate por 0 a 0 no Beira-Rio, e vitória do Fluminense, por 2 a 1, no Maracanã. Já o alvinegro despachou o São Paulo no ano de 2013, vencendo no Morumbi por 2 a 1, e na Arena Independência por 4 a 1. O Galo, porém, decidiu em casa; e o Inter, fora. Cenário inverso ao de agora.

Atlético eliminou o São Paulo em 2013
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Em campo, os times farão jus ao rótulo de torneio continental. Serão, ao todo, cinco estrangeiros envolvidos, sendo quatro atletas - os argentinos Dátolo e Lucas Pratto, no time atleticano; o argentino D'Alessandro e o chileno Charles Aránguiz pelo Inter - e o técnico uruguaio Diego Aguirre, que está à frente da equipe gaúcha. Aguirre, por sinal, dirigiu o Peñarol vice-campeão em 2011.

Fato é que o embate vai mobilizar mineiros e gaúchos, e nunca é demais lembrar: o Galo ainda tem estoque, e muito, de 'eu acredito'.

Nenhum comentário:

Postar um comentário