26/06/2015

O 'fator Luxa' no Cruzeiro

Douglas Zimmer

Detentor do melhor aproveitamento - 70,4% em 107 partidas na primeira passagem - entre todos os treinadores que já comandaram o time celeste de Belo Horizonte, Vanderlei Luxemburgo retornou ao Cruzeiro em junho último e conseguiu fazer o time reencontrar, senão ainda o bom futebol, pelo menos as vitórias.


Nos quatro primeiros compromissos sob seu comando, o time conseguiu três vitórias e foi derrotado apenas uma vez, justamente no último jogo, talvez o menos provável, diante da Chapecoense em pleno Mineirão. Mas, afinal, o que mudou com a saída de Marcelo Oliveira e com a chegada de Luxemburgo? Teria ele, em pouco tempo, dado a sua identidade ao modo de jogo da equipe? Ou seria sorte de 'iniciante'?

Luxa reestreou com vitória no Cruzeiro
(Créditos: Washington Alves/Light Press)

A meu ver, o grande mérito do treinador, até aqui, foi ter conseguido tirar mais transpiração, quando da falta de inspiração, do time cruzeirense. A diferença de postura é a alteração mais notória na máquina, mesmo tendo as mesmas engrenagens em ação. Luxemburgo ainda não trouxe nenhum reforço, não fez grandes alterações na escalação - a não ser as que foram impostas, seja por lesão ou convocação - e tampouco mudou de maneira drástica a tática com a qual o Cruzeiro vinha atuando.

A 'nova' velha Raposa

Tanto isso é verdade que, na última partida, quando perdeu os 100% de aproveitamento na sua atual passagem, Luxemburgo foi enfático ao dizer que a equipe havia se comportado de uma forma burocrática, com pouca ousadia e pouco poder para furar a 'retranca' armada pelos catarinenses. Foi exatamente nisso que o Cruzeiro havia melhorado, especialmente nos dois jogos anteriores, ante Atlético e Vasco.

Técnico azul ao lado do auxiliar Deivid
(Créditos: Washington Alves/Light Press)

Até agora, e logicamente é cedo, Vanderlei Luxemburgo tem desempenho razoável nesta sua nova aventura no Cruzeiro. Conseguiu tirar o time da zona da confusão e deu novo gás à equipe. O trabalho, entretanto, está apenas no começo e, se ele não consertar alguns velhos defeitos que os jogadores já vêm demonstrando há algum tempo, o risco de o time não conseguir nenhum destaque ou então de ficar no chove-não-molha nesta temporada é grande.

Em busca dos reforços

A necessidade de reforços é visível. Contudo, até lá, cabe ao comandante arrumar a casa e ir à luta com o que tem. Luxa não deve realizar grandes alterações na estrutura da equipe e deixou bem claro que gostaria de ter elenco completo à disposição, lamentando a quantidade de jogadores que habitam o DM do clube e, com isso, a dificuldade em fazer alterações que possam mudar a cara do jogo.

Luxemburgo ainda espera por reforços
(Créditos: Washington Alves/Light Press)

Vejo potencial no grupo para a briga no topo da tabela, caso os tropeços como os do último domingo se tornem exceção, não regra. Se Vanderlei conseguir manter o nível de transpiração em alta e, com trabalho no dia a dia, elevar a inspiração, o entrosamento e a vontade de vencer, podemos colher frutos em breve.

Desejo sorte e sabedoria ao nosso treinador.
Ao Cruzeiro, força!

Nenhum comentário:

Postar um comentário