24/06/2015

Robinho: sonho e silêncio

Vinícius Dias

Após o revés para a Chapecoense, o presidente Gilvan de Pinho Tavares evitou falar sobre Robinho. O silêncio é sinônimo de expectativa, uma vez que o atacante vai definir o futuro após a participação brasileira na Copa América. O camisa 20 do time comandado por Dunga tem em mãos uma oferta para defender o Cruzeiro.


A advogada responsável pela gestão da carreira de Robinho mantém um escritório no bairro Bela Vista, Região Central de São Paulo. Gerente de futebol da Raposa, Valdir Barbosa esteve na cidade na segunda-feira, dia 15. As partes não confirmam. Mas, nos bastidores, há quem diga que os pontos se ligam.

Robinho disputa Copa América no Chile
(Créditos: Rafael Ribeiro/CBF/Divulgação)

Como se ligam, e de forma mais explícita, o desejo de Luxemburgo, que planeja voltar a trabalhar com Robinho, e o sonho cruzeirense em contar com o atleta - em 2013, antes de definir a contratação de Júlio Baptista, Gilvan de Pinho Tavares tinha Kaká, à época na reserva do Real Madrid, como plano A; Robinho era o B.

No mercado em sete dias

Até o próximo dia 30, o jogador tem contrato com o Santos - com quem negocia a renovação há um mês. Em julho, estará disponível no mercado. Com propostas de mercados periféricos da América e da Asia e também com a possibilidade de defender o Cruzeiro pelos próximos três anos. Os interessados aguardam. Em silêncio.

Um comentário:

  1. Pelo amor de Deus!!!!!!!!!! Essa novela de Robinho de novo??? Hora alguma ele demonstrou interesse em vir jogar aqui. Vamos esquecer essa .... e almejar novos horizontes.

    ResponderExcluir