22/07/2015

Entre as finanças e o elenco

Alisson Millo

Nesta semana, o Atlético sacramentou a compra de 100% dos direitos do lateral-esquerdo Douglas Santos e de 50% dos direitos do volante Rafael Carioca. Com isso, o time titular se mantém forte e líder para a sequência do Brasileirão. O preço disso foi um pequeno 'desmanche' que, analisando bem, não chega a ser problema, uma vez que, financeiramente, a dívida - que é grande, mas está controlada - não cresce. Douglas e Carioca são titulares indiscutíveis. O time principal continua forte e o grupo, apesar de perder peças, não deixa de ter qualidade.


Começando pelo ataque, Jô foi vendido para o mundo árabe e André foi emprestado ao Sport. O primeiro não saiu pelas cifras que Kalil esperava antes da Copa de 2014, mas rendeu R$ 5 milhões, além da economia em termos de salários. André, um dos principais investimentos da história do clube, tem jogado bem em Recife, que pode valer como vitrine para uma futura venda. Levir ainda tem Carlos, que fez mais de 100 gols na base, e Leonardo, que foi reintegrado, como opções.

Atlético adquiriu direitos de Carioca
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Recentemente, Daniel Nepomuceno negociou a transferência de Guilherme para o Cruz Azul. O jogador chegou a viajar para o México, mas o acordo não foi selado devido a pendências contratuais. Sem questionar o futebol do camisa 17, nem desmerecer seu histórico na equipe, mas a saída seria um bom negócio. O titular da posição, hoje, é Giovanni Augusto, que tem jogado bem. E, a princípio, Guilherme não aceita ser a segunda opção. A provável saída de Maicosuel, sim, deve ser lamentada.

Alívio na folha salarial

Na lateral-direita, a transferência de Patric para o Osmanlispor, da Turquia, parece iminente. O jogador, inclusive, já vestiu a camisa do novo clube e, coincidência ou não, Carlos César foi titular nas últimas partidas, quando Marcos Rocha não foi aproveitado. Inicialmente, Carlos César não deixa a desejar como reserva de Rocha, melhor do país na função, e a saída de Patric aliviaria a folha.

Patric e Guilherme: futuro indefinido
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

A primeira impressão, após as negociações recentes, é de que o elenco alvinegro perde força. Mas restam boas peças a serem acionadas ao longo das partidas e das competições que ainda restam na temporada. Líder do Brasileiro, o Galo precisa manter o nível para buscar o bi e, no papel, tem elenco suficiente. O presidente assegura o título. E os atletas que seguem na Cidade do Galo podem cumprir a promessa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário