10/07/2015

Na(s) conta(s) de Luxemburgo

Vinícius Dias

"Prefiro arriscar mais e ganhar a ficar empatando... Cinco jogos e cinco empates, cinco pontos. Cinco jogos e duas vitórias, seis pontos. Prefiro arriscar mais e somar vitórias". Com essas palavras, o técnico Vanderlei Luxemburgo analisou a derrota diante do Fluminense - a quarta em oito partidas na volta ao Cruzeiro. Tem lógica. Ao contrário das opções feitas por ele na noite de quinta-feira.


No treino tático de terça-feira, a equipe titular teve quarteto ofensivo com Marquinhos, Marcos Vinícius, De Arrascaeta e Joel. Luxa indicava repetição da formação utilizada na vitória contra o Atlético/PR, no sábado, em uma das melhores apresentações celestes em 2015. Quando trilou o apito de Heber Roberto Lopes no Maracanã, o time tinha Willlian e Leandro Damião nas vagas de Marquinhos e Joel.

Cruzeiro, de Damião, caiu contra o Flu
(Créditos: Marcelo Régua/Light Press)

Nos 45 minutos iniciais, embora tivesse mais posse de bola, a equipe não funcionou. Leandro Damião pouco fez para pôr fim ao jejum - uma única finalização, e errada. Willian confirmou a curva descendente - oito gols e nove assistências em 28 jogos em 2013; dez gols e nove assistências nos 56 jogos de 2014; dois gols e duas assistências em 26 jogos neste ano. Mas o sacado foi Marcos Vinícius.

Erros em sequência

O Cruzeiro perdeu quem tentava articular o jogo pelo meio e também De Arrascaeta, anulado a partir do momento em que passou a visar a faixa central. Jogo que Marquinhos - sete assistências e seis gols nos 26 jogos no ano, participando de 37% dos gols quando esteve em campo - viu do banco de reservas. É erro de planejamento tê-lo como peça fundamental? Sim. Como é erro preteri-lo.

Qual é o time de Luxa? O do treino? Ou o do duelo de ontem?
Com razão, a derrota no Rio vai para a(s) conta(s) do técnico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário