24/08/2015

Luxa em xeque no Cruzeiro

Vinícius Dias

Se o retorno de Vanderlei Luxemburgo ao Cruzeiro, mesmo amparado no passado de títulos, dividiu opiniões, a avaliação sobre o atual momento é quase unânime nos bastidores estrelados: o desempenho da equipe, que fechou a 20ª rodada a um ponto da zona de rebaixamento, segue muito distante do ideal. Em 17 jogos, foram seis triunfos, três empates e oito derrotas. Nesse período, o time deixou o gramado sem balançar as redes adversárias nove vezes.


O suficiente para que alguns dos principais aliados de Gilvan sugiram ao presidente celeste a demissão do técnico. Conforme o Blog apurou, entre os argumentos citados estão a falta de poder de reação no decorrer dos jogos - das nove vezes em que saiu atrás no placar, perdeu oito - e as poucas chances dadas a alguns dos principais nomes contratados nesta temporada, casos dos jovens meias De Arrascaeta e Gabriel Xavier e do experiente volante Willians.

Técnico soma seis vitórias em 17 jogos
(Créditos: Anderson Stevens/Light Press)

Embora não fale abertamente sobre o tema, Gilvan crê que 82 dias - 17 desses, ocupados com partidas, e o restante divido entre concentrações, treinos e viagens - é um prazo curto para avaliação do trabalho. Mas tem contra si o próprio discurso. Há cinco rodadas, após o revés para o São Paulo, o mandatário argumentou que as 'coisas melhorariam' em agosto. Mas, na prática, esse é o pior mês de Luxa na volta à Toca, com apenas 27,7% de aproveitamento.

No dicionário do futebol, paciência rima com resultados.
Para a Raposa, agosto tem mais sete dias e dois jogos.

7 comentários:

  1. Concordo, acho que já passou da hora de mandar o Luxemburgo embora, já se passaram meses e não deu padrão de jogo para o time até hoje!

    O time do Cruzeiro quando joga domingo, tem folga na segunda, faz trabalho regenerativo na terça e só vai treinar na quarta, que planejamento de time é esse? Se o elenco é novo, quanto mais treinar, mais vai entrosar e encaixar.

    Outra coisa, Luxemburgo nem treina o time direito, a maioria das vezes quem faz o treino é o Deivid, seu auxiliar.

    E pra piorar trouxe esse diretor do Vasco. Se o Cruzeiro for eliminado e perder para o Santos, tem que trocar de tecnico e mudar o planejamento urgente!

    Não concordo com a vinda do Adilson Batista, no mercado atual tem nomes melhores, como o Eduardo Baptista e Cuca

    ResponderExcluir
  2. Se comandar um time é manter a retórica de sucessivos erros....que análise de custo benefício é este que uma diretoria de uma grande equipe persiste manter??? Ninguém vive do passado e sim de resultados que agregue valor futuro. Já passou da hora de trocar este museu. Tem muitos treinadores da segundona que irá proporcionar um resultado igual ou superior a este técnico, e com custo benefício melhor.

    ResponderExcluir
  3. Ai demitem o cara, e chama quem, Jesus Cristo pra salvar o cruzeiro. Todo mundo sabe que o problema não é técnico e sim gestão, o Gilvan depois dque Alexandre Mattos saiu, ficou sem pai nem mãe. Cadê os reforços por ele prometidos?

    ResponderExcluir
  4. Passou da hora do Luxemburro cair fora, esta totalmente desatualizado, o time não tem jogadas ensaiadas, não tem motivação, so joga para traz, embora tenha um excelente plantel, não tem um time base. fora Luxemburro.

    ResponderExcluir
  5. O problema que que o Luxemburgo disse que ninguém entra na casa dele sem pedir licença, nem meche na geladeira, só que ele esta na casa do Cruzeiro e não se deu conta disto. Deixou todo mundo entrar e quando foi a casa do adversário, foi ser fregues. . .

    ResponderExcluir
  6. Luxemburgo já deixou de ser eficiente há anos. Já se sabia disso quando foi contratado. E ainda trouxe esse bobo da corte do Rio de Janeiro. Ao que tudo indica ele sequer conhece o elenco, apesar do tempo aqui na capital. Pior que isso é o discurso minimalista adotado, dizendo que derrotas para times do mesmo tamanho são normais. Assim, ninguém precisa se esforçar, já que o comandante do time assimila com naturalidade as adversidades. Vamos acordar, Cruzeiro. Pensar grande de verdade. A queda nos números do programa sócio torcedor refletem a política equivocada da diretoria. Vamos retornar ao bom caminho.

    ResponderExcluir
  7. Não entendo como um técnico deixa o Manoel no banco e entra com Paulo André, todos os gols do Palmeiras foram em falhas dele, até a expulsão do Bruno Rodrigo foi por causa dele pois perdeu a bola de cabeça para o palmeirense. Também este Fabrício tem que ser lateral onde disseram que ele é meio campo? Charles é horrível ali tem que ser o Willians, nas meias Gabriel Xavier e Arrascaeta, o time tem que ganhar e joga com três volantes desde quando Henrique é armardor? Fico triste deste Luxemburgo não enxergar as coisas como elas estão acontecendo e o time cada vez pior.

    ResponderExcluir