14/03/2016


Em média, atuais técnicos têm cinco meses e meio de trabalho em
seus clubes; Givanildo supera marca, Aguirre e Deivid estão abaixo

Vinícius Dias

No ano passado, as equipes da Série A bateram um recorde negativo ao realizarem 32 trocas de técnico ao longo dos sete meses de Campeonato Brasileiro. Ao todo, 50 profissionais passaram pela área técnica durante a competição, e somente um clube manteve o comandante por 38 rodadas: exatamente o hexacampeão Corinthians, de Tite. Nesta temporada, antes mesmo do início do torneio, cinco dos 20 clubes que disputarão a elite já alimentaram a guilhotina.


O primeiro a cair neste ano foi Vinícius Eutrópio, da Ponte Preta, ainda em fevereiro. Dias depois, quando a Macaca confirmou Gallo como substituto, Eutrópio já havia acertado a volta ao Figueirense. Houve ainda a troca de Eduardo Baptista por Levir Culpi, no Fluminense, e a de Cristóvão Borges por Paulo Autuori no comando do Atlético/PR. Por último, há quatro dias, Marcelo Oliveira foi demitido pelo Palmeiras. Hoje, o alviverde paulista deve apresentar Cuca.

Givanildo: técnico mais longevo da elite
(Créditos: Carlos Cruz/América FC/Divulgação)

Em meio às demissões em série, Givanildo Oliveira, que teve o retorno ao América oficializado em setembro de 2014, é o técnico mais longevo entre as equipes da Série A. Conforme levantamento feito pelo Blog Toque Di Letra os atuais comandantes estão, em média, há cinco meses e meio à frente dos atuais clubes. Além de Givanildo, apenas Tite tem mais de um ano de trabalho. Por outro lado, quatro ainda nem completaram um mês, enquanto Cuca assumirá o posto hoje.

Trabalhos mais longos da Série A:

Givanildo Oliveira (América) - desde setembro de 2014
Tite (Corinthians) - desde dezembro de 2014
Roger Machado (Grêmio) - desde maio de 2015
Vagner Mancini (Vitória) - desde junho de 2015

Trabalhos mais curtos da Série A:

Alexandre Gallo (Ponte Preta) - desde fevereiro de 2016
Levir Culpi (Fluminense) - desde março de 2016
Paulo Autuori (Atlético/PR) - desde março de 2016
Cuca (Palmeiras) - desde março de 2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário