06/04/2016


No futebol, por exemplo, número de denúncias cresceu 75% em
dois anos; ideia é convidar especialistas para debate no Senado

Vinícius Dias

Relator da Comissão de Juristas instituída pelo Senado para elaborar um anteprojeto da Lei Geral do Desporto Brasileiro, Wladimyr Camargos deve colocar em pauta nas próximas semanas a questão da discriminação racial no esporte brasileiro. "Pretendo ouvir as entidades e especialistas que se dedicam a esse tema para formular uma proposta", revela o advogado ao Blog Toque Di Letra.


No futebol, por exemplo, levantamento do Observatório da Discriminação Racial no Futebol apontou um aumento de 75% no número de denúncias de racismo contra atletas ou árbitros em território nacional entre 2014 e 2015. Foram registrados, em 24 meses, 55 casos - 43 nos estádios e 12 por meio das redes sociais.

Camargos, à esquerda, durante reunião
(Créditos: Marcos Oliveira/Agência Senado)

"As entidades esportivas internacionais têm atuado bem no combate ao racismo. É natural que as nacionais se adaptem a essa realidade e tomem medidas disciplinares nas competições. Além disso, o Estado precisa estar preparado para atuar no combate ao racismo. O Estatuto do Torcedor é quem trata do tema. Mas está aquém dos desafios", destaca o advogado Wladimyr Camargos.

Conclusão em junho

Em atividade desde o fim de outubro, a comissão, que reúne 11 juristas, deve apresentar o documento ao presidente do Senado, Renan Calheiros, em junho. "Vamos consolidar toda a legislação esportiva federal em uma única lei", explica o relator. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário