09/05/2016

Título com a marca de Givanildo

Vinícius Dias

Robinho se desloca, recebe e encontra Pratto. O argentino para em João Ricardo, mas vê Clayton abrir o placar no rebote aos 13' da etapa final. A movimentação de Robinho, geralmente prendendo dois americanos, foi o antídoto de Aguirre para minimizar a inferioridade numérica e furar a zaga do rival. Givanildo, em desvantagem, acionou Tiago Luis e Borges. Maior presença ofensiva, que deu resultado aos 38', com pivô do centroavante, gol de Danilo e título alviverde no Mineirão.


Diante de quase 50 mil torcedores e quebrando o jejum de 15 anos, a conquista de um América implacável como mandante - em sete duelos na Arena Independência, registrou seis vitórias e um empate - e invicto nos confrontos diante dos dois principais favoritos, com direito a inversão de vantagem duas vezes. Uma vitória e dois empates contra o Cruzeiro, líder da primeira fase e, posteriormente, eliminado na semifinal. Retrospecto idêntico diante do Atlético, vítima na decisão.

Givanildo: o maior da história americana
(Créditos: Carlos Cruz/América FC/Divulgação)

Passada a merecida festa, o difícil Campeonato Brasileiro bate à porta e a primeira impressão é de que o elenco do Coelho precisa de reforços para, enfim, sonhar com voos mais altos. Mas há uma base testada e, mais do que isso, uma filosofia muito bem definida pelo técnico Givanildo Oliveira. Compactação defensiva, eficiência no trabalho com a bola - aliada à menor necessidade de tê-la - e alto aproveitamento nas finalizações explicam um título tido como improvável em janeiro.

Coletivamente, o campeão América foi o melhor time do estadual.
Com a marca de Givanildo, o maior treinador da história do clube.

Um comentário:

  1. sou cruzeiro mas qro parabenizar ao america plo titulo merecido esta em boas maãos . parabens torcida americana. vcs mereceu.

    ResponderExcluir