05/09/2016

Caixa reforçado e elenco forte

Alisson Millo*

Encerrado o mês de agosto, as equipes brasileiras não precisam mais se preocupar com a temida janela de transferências do futebol europeu. No caso do Atlético, fim do receio à parte, o saldo das negociações foi favorável. Com a perda apenas do lateral-esquerdo Douglas Santos para o Hamburgo, da Alemanha, o Galo conseguiu manter as contas em dia e segue com um elenco que o credencia aos títulos que ainda disputa nesta temporada.


Agosto marcou também o fim da passagem de Eduardo com a camisa alvinegra. Revelado na base e promovido aos profissionais em 2014, o volante alternou bons e, principalmente, maus momentos, nunca se firmando como titular. Hoje no Internacional, Eduardo integra a lista de jogadores que foram vendidos pelo Atlético neste ano. Lista essa composta majoritariamente de atletas formados ou com passagens pelas categorias de base.

Douglas: reforço de ouro do Hamburgo
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

O principal nome é o de Jemerson. No início do ano, o zagueiro foi negociado para o futebol francês por € 11 milhões. Jemerson subiu em 2013 para o time principal e, depois de algumas atuações razoáveis, se firmou como principal nome do sistema defensivo alvinegro. Contratado muito jovem junto ao Confiança/SE, o atual camisa 5 do Monaco terminou sua formação nas categorias de base do Atlético, evidenciando o bom trabalho feito na Cidade do Galo.

Prata da casa vale ouro

Outro prata da casa que rendeu um bom dinheiro foi Giovanni Augusto. O meia-atacante teve sua primeira chance no time profissional ainda em 2010, naqueles tempos complicados em que Luxemburgo era o treinador. Aproveitado no estadual de 2011, parecia destinado ao sucesso, mas uma série de atuações ruins o fez ser afastado e, assim, começou a jornada de Giovanni Augusto. Emprestado a diversos clubes, ele parecia um talento perdido até 2014 quando fez um bom Brasileirão pelo Figueirense. 

Robinho e Pratto: peças do elenco forte
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

De volta em 2015, Giovanni Augusto chegou a entrar na justiça contra o clube, mas cancelou o processo e, depois, assumiu a titularidade no time comandado por Levir Culpi. A sequência regular foi suficiente para que o Corinthians desembolsasse cerca de € 4 milhões para levá-lo nesta temporada. Por outro lado, chegaram à Cidade do Galo reforços importantes, como Cazares, Fred e Robinho, todos com passagens por seleção.

Planejamento bem feito

Com grandes vendas e alguns negócios menos badalados, mas mantendo o time forte, o Atlético tem tudo para fechar este ano com saldo positivo, tanto nas finanças quanto na sala de troféus. Isso se deve ao bom trabalho da diretoria que, embora questionada no passado, tem se mostrado a cada dia mais profissional e capaz de elevar o patamar do Galo cada vez mais. 

*Jornalista. Corneteiro confesso e atleticano desde 1994.
Goleiro titular e atual capitão da seção Fala, Atleticano!

Nenhum comentário:

Postar um comentário