16/09/2016

Hora de cantar de Galo no Mineirão!

Alisson Millo*

Diário de bordo: dia 11 de fevereiro de 2016. O presidente Daniel Nepomuceno anuncia a contratação do atacante Robinho. Este que vos escreve, um tanto quanto pessimista, não se empolga. Por achá-lo relativamente supervalorizado, nunca fui muito fã do atual dono da camisa 7 do Atlético, mas prometi apoiá-lo.


Diário de bordo: dia 08 de junho de 2016. Fred assina contrato com o Galo e, assim como ocorrera com Robinho, encaro a contratação com receio por ser um atacante com idade avançada e que não vivia grande fase no Fluminense. Mais do que isso: tinha perfil distante das tradições atleticanas.

Fred: adaptado e goleador no Atlético
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Neste dia 16 de setembro, depois de as vitórias chegarem e de vários gols e assistências de ambos, o diário de bordo registra uma confissão. Com todo prazer, admito que estava errado. Robinho e Fred são os dois principais nomes do Atlético, como destaca levantamento publicado na terça-feira. Não dá para imaginar, hoje, o time de Marcelo Oliveira sem a dupla.

Protagonistas atleticanos

O camisa 7 vem sendo decisivo desde o Campeonato Mineiro. Jogando preferencialmente pela ponta esquerda, ele ainda se dispõe a atuar centralizado e como atacante de referência. As atuações de Robinho vêm colocando seu nome em pauta quanto a uma nova chance na seleção, por exemplo. Além da artilharia do Campeonato Brasileiro, o craque tem atraído a marcação, criado chances, espaços e dado assistências: um jogador completo.

Robinho: peça mais decisiva da Série A
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

No comando do ataque, Fred tem menos tempo de clube, mas também se destaca. O centroavante soma nove gols no Campeonato Brasileiro, um deles marcado logo na estreia, no clássico do primeiro turno. Mesmo jogando mais à frente, o camisa 99 também joga para o grupo, dando também passes pra gols.

Com Cazares, trio fechado

Neste domingo, mais um clássico pela frente. Robinho e Fred estarão em campo. Junto com eles, o talentoso Juan Cazares estará de volta. A tendência é de que seja a primeira vez do equatoriano frente ao maior rival. O timing não poderia ser melhor. Cazares é o principal articulador da equipe e é mais uma esperança por uma boa atuação e vitória diante do Cruzeiro.

Rivais se reencontram após três meses
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Quem tem presença confirmada no jogo deste domingo é o atacante Lucas Pratto. O selecionável argentino, por sinal, disse certa vez que clássico não se joga. Se ganha. Esse deve ser o pensamento sempre. Time que quer ser campeão não pode perder para equipes mais fracas, que brigam na parte de baixo da tabela, e nunca é interessante ser derrotado pelo Cruzeiro.

É hora de gritar mais alto, jogar melhor e provar quem é o dono do Mineirão para sair com os três pontos. Robinho, Fred e o Atlético mostram que é recomendável acreditar sempre.

*Jornalista. Corneteiro confesso e atleticano desde 1994.
Goleiro titular e atual capitão da seção Fala, Atleticano!

Nenhum comentário:

Postar um comentário