17/09/2016

Que a reação comece pelo clássico

Douglas Zimmer*

Salve, China Azul!

Das frustrações às euforias e vice-versa, o torcedor cruzeirense já está se acostumando à grande quantidade de dúvidas que o atual time tem colocado no ar. Depois de uma bela sequência no Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro foi novamente derrotado no Mineirão e deixou escapar a chance de se distanciar da zona de rebaixamento. Esse tipo de situação praticamente resume o que foi e vem sendo a Raposa em 2016.


Agora, na sequência do campeonato, uma série de jogos complicados aguarda a equipe celeste. Espera-se que os jogadores que conseguiram se destacar recentemente voltem a fazer a diferença. Se ainda existem algumas posições que não possuem opções que sejam consideradas unanimidades, em outras, parece que não existem mais dúvidas.

Ábila e Arrascaeta voltam no clássico
(Créditos: Alexandre Loureiro/Light Press)

Para o clássico contra o Atlético, neste domingo, por exemplo, Mano Menezes terá de volta os gringos Arrascaeta e Ramón Ábila, que cumpriram suspensão na derrota para o São Paulo. Os dois vêm se mostrando muito eficientes e, consequentemente, importantes. O uruguaio, por exemplo, é o sexto jogador mais decisivo do Campeonato Brasileiro, com seis gols e sete assistências. E o desempenho dele, que, apesar de alguns lampejos, era bastante questionado na temporada passada, já o credencia a ser titular absoluto, sem que haja questionamentos.

Falta de regularidade em campo

Talvez uma das coisas que mais fizeram e fazem falta ao Cruzeiro neste ano seja exatamente jogadores que consigam manter uma sequência de boas apresentações, com convicção e apoio da torcida. O time titular, do goleiro ao atacante, começou a ser definido depois da metade do ano, o que, cá entre nós, dificulta qualquer trabalho. E olha que, mesmo assim, ainda tem muita gente deixando a desejar.

Sóbis ainda não convenceu na Raposa
(Créditos: Marcello Zambrana/Light Press)

Na minha opinião, o melhor a ser feito agora é trabalhar aqueles pilares que, com certeza, darão retorno em um futuro bem próximo para que a base do grupo não sofra tantas modificações, já tentando reforçar os pontos fracos. Unanimidades como Arrascaeta, Ábila, Henrique e, mais recentemente, Edimar devem ser aproveitadas ao máximo nesse momento de instabilidade, até para que os pontos fracos não fiquem tão expostos.

Resumindo, acredito que contamos com vários jogadores que têm capacidade para liderar esse grupo a um patamar mais elevado em breve. A começar pelo clássico deste domingo.

*Gaúcho, apaixonado pelo Cruzeiro desde junho de 1986.
@pqnofx, dono da camisa 10 da seção Fala, Cruzeirense!

Nenhum comentário:

Postar um comentário