28/09/2016

Final em jogo único: o erro da Conmebol

Vinícius Dias

Em uma terça-feira agitada, a Conmebol alinhavou uma série de mudanças em seu calendário a partir de 2017. Copa Libertadores de fevereiro a novembro, com mais clubes e vaga na Sul-Americana - disputada entre junho e dezembro - para dez dos eliminados antes das oitavas de final. Sinal de valorização do planejamento, com bons produtos no mercado durante toda a temporada e perspectiva de aumento das receitas. Mas há um porém: a proposta de final em jogo único, disputado em campo neutro.


O referencial é a Liga dos Campeões, cujas decisões há seis décadas são transformadas em espetáculos, reunindo milhares de turistas em torno do futebol e, ainda, tendo grandes índices de audiência nos quatro cantos do mundo. O real é um continente em que a última experiência semelhante - em 1987, o uruguaio Peñarol conquistou o título da Libertadores ao derrotar o colombiano América de Cali, no Chile, por 1 a 0 - teve presença de público inferior a 40% da capacidade do estádio.

Atlético Nacional: festa do título em casa
(Créditos: Club Atlético Nacional/Divulgação)

Semana a semana, assistimos a jogos de Espanha e Inglaterra, enquanto o Brasileirão sequer é transmitido no Chile. À exceção dos torneios argentino e colombiano, também não acompanhamos a rotina dos demais países latinos. Somem-se a isso altitudes, longas distâncias e infraestrutura deficitária - há trens ligando países europeus, enquanto faltam voos na América. Haveria, em La Paz, estádio cheio para Atlético x Cruzeiro? Como estaria o Mineirão para Atlético Nacional x del Valle, decisão deste ano?

Rediscutir o calendário e deixar a mesmice são dois ótimos sinais.
Mas, antes de definir aonde ir, é fundamental saber onde se está.

7 comentários:

  1. Concordo que temos que nos adaptar ao Calendário Europeu e Mundial, mas a Final em campo Neutro será um Tiro no Pé.

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente. Será um tiro no pé pois, a analogia é lógica e simples: realmente como poderia-se encher o Mineirão com um Atlético Nacional x Del Vale. Que fosse um tradicional Boca Jrs. x Peñarol. O interesse não seria o mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Sempre achei uma besteira sem tamanho na Europa...aqui então é uma burrice ao extremo.

    ResponderExcluir
  4. Tive a oportunidade de viajar por alguns países latinos e muito complicado a falta de estrutura em alguns países, até mesmo em questão a estrutura de estádios por lá. Acho que a decisão em jogo único não é para a nossa realidade latina.

    ResponderExcluir
  5. não tem logica essa "decisão" de campo neutro. Como comparar uma extensão geográfica da Europa que cabe no Brasil com esse continente da terra do fogo até na divisa dos States. Tomara que prevaleça o Bom Senso

    ResponderExcluir
  6. Eh ums burrice descabida. Veja as distancia entre as cidades da America e as da Europa. Quanto fazer a final em um lugar neutro, uma burrice maior ainda. Do jeito que esta, nao eh o ideal, mas eh melhor do que esta sendo proposto.

    ResponderExcluir
  7. Final em jogo é único é a maior besteira que estão propondo. Europa tem estádios bons, a logística permite e o povo tem dinheiro.

    ResponderExcluir