13/10/2016

O jogo continua zero a zero...

Douglas Zimmer*

Salve, China Azul!

Pela primeira vez neste Campeonato Brasileiro o Cruzeiro conseguiu emendar uma sequência de, pasmem, duas vitórias seguidas como mandante. Muito pouco para um time do tamanho e com a torcida da Raposa, mas foi o suficiente para sair da zona de rebaixamento e alcançar a enganosa 12ª colocação. Embora as vitórias tenham começado a aparecer e, com elas, a equipe celeste tenha conseguido respirar na competição, é hora de continuar com o pé no fundo.


Quando eu era criança e jogava futebol em escolinha, sempre que meu time abria o placar, o treinador, depois de comemorar o gol, gritava do lado de fora: 'tá 0 a 0, continuem na mesma pegada'. Todo santo jogo a mesma coisa. E normalmente funcionava. O que isso tem a ver com o Cruzeiro? Talvez, pouco. Mas acho que é hora de manter o foco e lembrar que ainda não tem nenhuma guerra vencida.

Henrique: noite de herói diante do Grêmio
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Apesar de o Cruzeiro ter deixado a rabeira da tabela, a ameaça continua e todo cuidado é pouco. Os times estão bastante embolados e qualquer ponto faz enorme diferença nessa hora. O time melhorou o suficiente para somar os seis últimos pontos disputados e parte disso se deve ao fato de a defesa não ter sido vazada nas duas rodadas. Entretanto, esta rodada já reserva nada mais, nada menos que o Palmeiras, atual líder do campeonato, fora de casa. O jogo continua 0 a 0. Concentração é fundamental.

Resultado ou desempenho?

Não é mais hora de cobrar um futebol vistoso e vitórias convincentes. A essa altura do campeonato e da temporada, o que resta é conseguir a pontuação necessária para evitar qualquer drama o quanto antes. Se o tal futebol convincente já tivesse aparecido antes, nem estaríamos aqui conjecturando sobre a parte de baixo da tabela. Que o Cruzeiro tem um elenco superior ao de pelo menos dez ou 12 adversários da Série A, nós também sabemos. Mas agora que estamos nessa situação incômoda, essa questão não passa de um mero detalhe.

Ábila comemora gol contra a Ponte Preta
(Créditos: Yuri Edmundo/Light Press/Cruzeiro)

Sem desvalorizar a sensível melhora apresentada, mas o jogo continua 0 a 0. Permanecemos em situação angustiante e, enquanto não estivermos matematicamente livres do rebaixamento, o foco precisa ser total. Vitórias magras, placares mínimos, pontos arrancados na marra, tudo isso me serve. E ao Cruzeiro também.

*Gaúcho, apaixonado pelo Cruzeiro desde junho de 1986.
@pqnofx, dono da camisa 10 da seção Fala, Cruzeirense!

Um comentário:

  1. Concordo: deixa o futebol bonito pro ano que vem. A hora agora é de somar pontos. As vezes 1 ponto lá em SP está bom diante da atual conjuntura, mas se possível traga os 3 Cruzeirão...

    ResponderExcluir