30/10/2016

Os dois lados do Atlético x Flamengo

Vinícius Dias

Quatro gols, uma virada no placar e emoção do início ao fim: Atlético e Flamengo fizeram nesse sábado, em um Mineirão com mais de 48 mil torcedores, uma das melhores partidas do Campeonato Brasileiro. No tira-teima entre a transpiração alvinegra e o jogo coletivo rubro-negro, empate por 2 a 2. Resultado que, no fim, agradou apenas ao Palmeiras - apesar da derrota no clássico diante do Santos, agora terceiro colocado, o time de Cuca segue isolado na liderança.


Diante de um Atlético defensivamente mal, foi o Flamengo quem abriu o placar. Aos 32', Paolo Guerrero ajeitou para Diego estufar as redes. Triunfo parcial do time mais organizado e que dominava as ações: 12 finalizações contra quatro, 60% x 40% em posse, segundo o Footstats. Com menos bola nos pés e 50% mais passes errados, evidenciando a dificuldade em concretizar o jogo coletivo e ameaçar a meta adversária, o Atlético contou com a inspiração de Victor para seguir vivo.  

Disputa entre Réver e Fred na área
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Na etapa final, Marcelo Oliveira pôs Pratto na vaga de Donizete - antes, Luan havia substituído Cazares. Zé Ricardo respondeu com Sheik e Alan Patrick. O Flamengo perdeu velocidade na transição. O time mineiro passou a ameaçar com frequência, mas esbarrava no método: bola na área. Até o pênalti de Réver em Fred. Robinho igualou o marcador aos 36' e, depois, achou Pratto livre: virada que, devido a mais uma falha defensiva, culminando em gol de Guerrero, durou apenas três minutos.

Com Robinho e Diego decisivos, o duelo no Mineirão foi excelente.
Mas, mirando a classificação, talvez mineiros e cariocas discordem.

Um comentário:

  1. É um absurdo deixar um atacante como o Pratto no banco.Só dois jogadores ruins não podem jogar juntos;dois craques podem.

    ResponderExcluir