12/11/2016


Aline Guedes é um dos destaques da equipe alviverde, que luta
pelo título inédito e pode até perder por um gol neste domingo

Vinícius Dias

América e Ipatinga fazem neste domingo, às 16h, no Baleião, em Belo Horizonte, a final do Campeonato Mineiro feminino. Em vantagem após a vitória por 1 a 0 na ida, no Vale do Aço, o Coelho pode perder por até um gol de diferença que, ainda assim, será campeão. Na véspera do confronto, no entanto, a expectativa pela conquista inédita dá lugar a um discurso cauteloso.


"Faremos a final em nosso campo e temos uma vantagem de um gol, mas isso não é nada no futebol", comenta ao Blog Toque Di Letra a meio-campista alviverde Aline Guedes. "Temos que entrar com os pés no chão e colocar o que treinamos em campo. Essa semana foi intensa, com treinos todos os dias (à noite, no Baleião). Nos preparamos especificamente para jogar contra elas", acrescenta.

Aline Guedes ao lado de Matheusinho
(Créditos: Arquivo Pessoal/Aline Guedes)

De folga neste sábado, o elenco se reapresenta na tarde de domingo, no palco da decisão. Vice-campeão na edição passada, quando teve o mesmo Ipatinga como algoz, o time ostenta ótimos números: seis vitórias e um empate em sete jogos, com 33 gols marcados e apenas quatro sofridos. "A receita é treinar muito. Ao longo do ano, nos tornamos um time sólido e compacto para defender e atacar", avalia a camisa 10.

Por dobradinha e Copa do Brasil

Em busca do título, o América pode reeditar um feito raro: ser campeão mineiro masculino e feminino na mesma temporada. Ao longo da história, apenas o Atlético - em 2010 e 2012 - conseguiu a dobradinha. Além disso, estará em jogo neste domingo uma vaga na próxima edição da Copa do Brasil. O Ipatinga disputou a competição neste ano, sendo eliminado na primeira fase pelo Vila Nova, do Espírito Santo.

Equipe soma 33 gols em sete partidas
(Créditos: Carlos Cruz/América FC/Divulgação)

Na visão de Guedes, o torneio nacional pode servir como atalho para a seleção. "A Copa do Brasil tem grande visibilidade. Com isso, as chances aumentam. É a oportunidade de apresentarmos nosso futebol ao Brasil", afirma a meio-campista, de 26 anos, que já vestiu a amarelinha no futsal. Neste Campeonato Mineiro, ela já balançou as redes duas vezes e soma quase uma dezena de assistências.

Nenhum comentário:

Postar um comentário