16/11/2016

Os caminhos do Atlético no mercado

André Castro*

A grande novidade do feriado alvinegro foi o anúncio feito por Dátolo, em entrevista à TV Globo, de que não seguirá na equipe no próximo ano. O Atlético tem duelos decisivos pela frente, enfrentará o Grêmio na final da Copa do Brasil, ainda tem pretensões no Campeonato Brasileiro, mas não pode deixar 2017 de lado. Tão importante quanto a vaga direta na Copa Libertadores, que pode ser encaminhada com vitória diante do Palmeiras, nesta quinta-feira, é fazer um bom planejamento.


Outro caminho para assegurar vaga direta na fase de grupos é o título da Copa do Brasil. A final começa na próxima quarta-feira. Se por um lado o Grêmio está focado exclusivamente no fim de um jejum de 15 anos sem grandes conquistas, por outro o bicampeonato 'salvaria' o ano do Atlético. Mesmo com alto investimento em jogadores de renome, o time ainda não conseguiu se sagrar campeão nos torneios que disputou, tendo na Copa do Brasil a última oportunidade - no Brasileirão, a quatro rodadas do fim, as chances são mínimas. 

Pratto: artilheiro da seleção argentina
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

De volta aos bastidores, é quase consenso que para o próximo ano o Galo precisa melhorar sua defesa, ponto fraco da equipe nesta temporada. Por sinal, peças-chave para o setor, como Leonardo Silva e Leandro Donizete, ainda não tiveram seus contratos renovados. Capitão alvinegro, o zagueiro tem sido desfalque por lesão e já está com idade avançada, o que inspira cuidados. Quando atua, no entanto, o dono da camisa 3 tem se destacado, sobretudo em jogadas aéreas.

Leandro Donizete em pauta

Sempre que chega um novo volante à Cidade do Galo, a titularidade de Leandro Donizete é colocada em xeque, mas em campo ele vem provando que merece o lugar no time de Marcelo Oliveira e a renovação. A situação dele deve determinar, por exemplo, a ida ou não ao mercado. Outro que espera uma posição do clube é Júnior Urso. Emprestado até dezembro, o paulista tem despertado interesse de outras equipes, e talvez seja preciso investir para tê-lo em definitivo.

Após três anos, Dátolo está de saída
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Por outro lado, o zagueiro Edcarlos, que tem sido pouco aproveitado e perdeu a condição de reserva imediato para o jovem Gabriel, deve sair sem deixar muitas saudades. A situação do goleiro Giovanni segue em aberto. Enquanto isso, o argentino Dátolo, que perdeu espaço devido às seguidas lesões e à grande concorrência no setor, dará sequência à carreira fora do clube e, talvez, do futebol brasileiro.

Segunda chance no Atlético

No início de 2017, vários atletas retornam de empréstimo. Apesar do ano ruim do Figueirense, o meia-atacante Dodô e o atacante Rafael Moura têm potencial para disputar espaço no elenco - em especial, se Lucas Pratto for negociado. Dodô fez bons jogos pelo time catarinense e, com as prováveis convocações de Cazares e Otero, pode ter chances. Considerando o bom histórico dos zagueiros da base, também vale acompanhar a situação de Donato, que está no Londrina.

Alex Silva treina na Cidade do Galo
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Renan Oliveira, que surgiu como promessa, tem feito boa Série B pelo Náutico e já foi comandado por Marcelo Oliveira, mas dificilmente será reintegrado. Leleu, Wescley, Marion e Henrique devem ser reemprestados. Para as laterais, há jogadores como Eron e Alex Silva - este, a meu ver, merece uma segunda chance. Mas, antes disso, que tal iniciar a lista de reforços com um zagueiro de ponta? 

*Jornalista em formação. Apaixonado por futebol e cinema.
Camisa 8 do elenco e 12º jogador da seção Fala, Atleticano!

Um comentário:

  1. O atletico Precisa contratar 2 zagueiro, nomes que indico e Juninho do coritiba e Filipe santana, sem clube, e volantes Arouca do Palmeiras, Willians do Cruzeiro, Ritchely do sport, e lateral esquerdo Rene do sport

    ResponderExcluir