01/12/2016


Francisco Battistotti exalta gestão do clube catarinense e deseja
que após tragédia filiados emprestem atletas arcando com custos

Vinícius Dias

Em clima de luto pela tragédia com o voo da Chapecoense, na Colômbia, dirigentes dos clubes da Primeira Liga vão se reunir na próxima terça-feira, em Florianópolis. A expectativa é de que no encontro - agendado desde a semana passada - sejam debatidas alternativas de apoio à agremiação do Oeste catarinense, uma das fundadoras da entidade. O presidente do Avaí, por exemplo, já definiu a medida que sugerirá.


"Minha proposta será de que consigamos ceder alguns atletas, com custo pago pelos clubes, para que a Chapecoense tenha condições de começar a disputar o Campeonato Catarinense, a partir de 29 de janeiro, e a Primeira Liga (a rodada inicial acontecerá no dia 22)", revelou Francisco Battistotti, que também ocupa a vice-presidência da entidade de clubes do eixo Sul-Minas-Rio, ao Blog Toque Di Letra.

Francisco Battistotti em reunião do Avaí
(Créditos: Carlos Alberto Ferreira/Avaí F.C.)

Depois da tragédia, diversos clubes brasileiros abriram a possibilidade de "empréstimo gratuito de atletas para a temporada de 2017". No caso da Primeira Liga, o dirigente defende que os filiados também arquem com os custos. "Eu conversei com o CEO José Sabino e pedi a ele que convocasse todos os presidentes, e não (que os clubes) mandassem representantes", completou, pontuando a relevância do tema.

Aumento de cota em pauta

Questionado sobre um possível remanejamento de cotas de TV - o acordo deve render à entidade quase R$ 70 milhões em três anos - em prol do Verdão, Francisco Battistotti não descartou, emendando elogios à gestão atual. "A Chapecoense é um clube estruturado financeiramente, muito bem administrado, com gente nova e capacidade suficiente. Mas nada impede que a gente venha a conversar com os outros parceiros".

Chapecoense é filiada à Primeira Liga
(Créditos: Mailson Santana/Fluminense F.C.)

Na condição de presidente do Avaí, com volta à Série A garantida, ele se disse disposto a debater a hipótese de não rebaixamento da Chapecoense nos próximos anos, mas evitou adiantar sua posição.

Um comentário:

  1. ESTE ASSUNTO JA FOI COMENTADO POR DIVERSOS PRESIDENTES DE CLUBES DA SERIE A. SDS,

    ResponderExcluir