30/01/2017

Ano do Galo, estreia com o pé direito

Alisson Millo*

Reza a lenda que o ano no Brasil só começa depois do carnaval. Mas, mais importante que festa é futebol, ainda mais com um clássico logo à frente. Nesta quarta-feira, Atlético e Cruzeiro se enfrentam pela Primeira Liga e, mesmo se você é daqueles que acham que é um torneio que pouco vale, sabe que clássico não se pode perder. É com essa mentalidade que o time tem que ir a campo no dia 1º de fevereiro.


Sem o artilheiro Fred, que cumpre suspensão dos tempos de Fluminense, Lucas Pratto comandará o ataque visando deixar uma dúvida na cabeça do treinador. O argentino começou a temporada na reserva e viu o camisa 99 garantir a vitória contra o América de Teófilo Otoni, na estreia no Mineiro. Nunca é bom duvidar da qualidade dele, ainda mais com tanta motivação para se manter na seleção e, por que não, conseguir uma boa negociação para alguma das principais ligas europeias.

Fred fez o primeiro gol da temporada
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

O primeiro jogo oficial da temporada serviu como preparação para pegar o rival. Se não foi um primor técnico, o resultado veio, os três pontos serão importantes na sequência do estadual e ainda revelou o, aparentemente, bom volante Yago, que foi bem no primeiro teste na equipe profissional. Destaque também para o meia Otero, um ótimo achado da diretoria. Meia técnico, de bom passe, que costuma levar perigo nas bolas paradas e dá a vida pelo time, o que agrada ao atleticano.

Desfalques e vaias prematuros

Mas nem só de boas notícias vive o Atlético. Já com desfalques - Victor e Robinho não têm previsão de volta -, o elenco ainda não está fechado, e a falta de paciência do torcedor com alguns atletas pode dificultar. Exemplo disso foram as vaias a Clayton, alvo logo no primeiro jogo, devido ao alto investimento e ao pouco retorno no ano passado. Mas que tal conjugar o verbo alvinegro? Acreditar. A dupla de zaga foi pouco exigida, mas não tão segura, haja vista a pressão sofrida na etapa final.

Horóscopo chinês: 2017 é ano do Galo
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Na quarta-feira, o teste será bem mais difícil. Embora o time esteja em construção, a verdade é que o espírito de clássico precisa estar pronto. A confiança é total no trabalho de Roger Machado e o Atlético parece estar em boas mãos. Que, neste ano, venham todos os títulos que ficaram no quase em 2016. O elenco já era bom e tem ganhado reforços. Não há desculpas para que o ano do Galo - de acordo com o milenar horóscopo chinês - não seja também o ano do Atlético.

*Jornalista. Corneteiro confesso e atleticano desde 1994.
Goleiro titular e atual capitão da seção Fala, Atleticano!

Um comentário:

  1. se vim so os titulos q ficaram no quase vai ser so a copa do brasil e fala serio q alguem acha q com este time o galo vai arruma alguma coisa a zaga esta faca ainda o meio falta um 1 volante e um camisa 10 la na frente temos robinho fred e pratto eu acho q com o salarios abisurdo q o galo paga para robinho e fred poderia concegui algum melhor

    ResponderExcluir