28/03/2017

A invencibilidade de copo meio vazio

Vinícius Dias

Logo aos sete minutos, Diogo cobrou falta na área, Rogério desviou e Schumacher completou para as redes. Foi o primeiro sinal de uma noite de superioridade do Uberlândia contra o Cruzeiro. Embora tenha empatado aos 46', em pênalti cobrado por Rafael Sóbis - revi apenas uma vez, e a impressão é de erro da arbitragem -, a Raposa fez no Parque do Sabiá seu pior primeiro tempo na temporada. Desfalques à parte, são três empates seguidos e uma invencibilidade de copo meio vazio.


Diante de Tombense e Joinville, embora tenha criado várias chances, a equipe comandada por Mano Menezes esbarrou na falta de pontaria. Nessa segunda-feira, com Ramón Ábila - em 86 minutos, o argentino teve duas grandes chances e aproveitou uma - como titular, ganhou poder de fogo, mas perdeu mobilidade e criatividade diante do Uberlândia. A duas rodadas do fim da primeira fase, o Cruzeiro chega ao clássico sem chances de ameaçar a liderança do Atlético e com lacunas visíveis.

Ábila teve duas chances e fez um gol
(Créditos: Daniel Teobaldo/Cruzeiro)

Às vésperas de uma sequência decisiva para a temporada, que inclui confrontos com o São Paulo pela quarta fase da Copa do Brasil e contra o Nacional, do Paraguai, pela primeira fase da Copa Sul-Americana, o time celeste encerra o mês de março diferente e pior do que começou. O jogo coletivo flui menos, jogadores como Alisson e Thiago Neves seguem individualmente aquém de seus melhores dias e o modelo de controle e proposição voltou a dar lugar ao jogo reativo.

O Cruzeiro segue invicto, mas tem enorme dificuldade para vencer.
O copo com água até a metade, cada vez mais, parece meio vazio.

8 comentários:

  1. O time perdeu o pouco padrão de jogo que tinha. O Mano Menezes não repete o time, assim fica difícil um entrosamento. Talvez por mi mi mi do atual futebol (poupar jogador) podemos sair de três campeonatos em apenas um mês.

    ResponderExcluir
  2. Esse time é fraco, não tem jogo aéreo, não tem batedor de falta e nenhuma jogada ensaiada com bola parada. É um time sem capacidade de reação, ontem no jogo se o juiz não ajuda com o pênalti inexistente para o Cruzeiro, teria sido 2 x 1 para o "poderoso" Uberlândia. Alisson não joga absolutamente nada, Thiago Neves está irreconhecível, Rafael Sóbis não acerta um chute a gol. Fabiano é um zero a esquerda, nem vontade de jogar ele tem. O time vem em franca queda livre. Este ano vai ser mais um daqueles anos difíceis que vamos apenas lutar contra o rebaixamento. A primeira decepção virá no fraquíssimo campeonato mineiro, o golpe de misericórdia para as pretensões de campeão mineiro do Cruzeiro será dado pelo rival Atlético no jogo de sábado. Jogando desse jeito, seremos eliminados pelo São Paulo na próxima fase da Copa do Brasil. Infelizmente mais um ano perdido para o Cruzeiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo!!!Saudações azuis...

      Excluir
    2. time não tem batedor de falta? Fabiano? Vc tem assistido mesmo os jogos do Cruzeiro?

      Excluir
    3. Você é cruzeirense mesmo? Quem é Fabiano?

      Excluir
  3. Você é pessimista demais Paulo Henrique. Não se esqueça de que há quase dois anos (ou 7 jogos) que o Cruzeiro não perde um clássico para esse rival. Nos últimos três campeonatos Mineiros, o Cruzeiro liderou a chave classificatória e não levou o título. Acredito que seremos campeões Mineiros. O jogo de sábado não vale mais nada.

    ResponderExcluir
  4. Sábado começa o "ano" de verdade! Ser primeiro no mineiro não quer dizer nada. haja visto que das 13 edições com este formato somente em 4 o time que liderou a primeira fase foi o campeão.
    Estamos todos cansados e desgastados com os 2 últimos anos do Cruzeiro mas acredito que este é o momento de apoiarmos. Como na reta final de 2015 tínhamos um time infinitamente inferior a ao que temos hoje e mesmo assim assistimos partidas memorareis no Mineirão de um time empurrado pela torcida.
    Sábado será mais um desses jogos inesquecíveis.

    ResponderExcluir