17/03/2017

Estatuto divide bastidores do Cruzeiro

Vinícius Dias

Embora o conselho ainda não tenha sido convocado para votação, o debate sobre a possibilidade de modificação do estatuto do Cruzeiro já tem dividido opiniões. Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, há pelo menos três alas nos bastidores: uma que aprova a diminuição dos requisitos para disputa das eleições presidenciais já neste ano, outra que reprova as mudanças e uma terceira defende um debate mais amplo, fora de ano eleitoral. Nem mesmo entre os integrantes da atual gestão há unanimidade.

Gilvan: reeleição por aclamação em 2014
(Créditos: Site Oficial do Cruzeiro/Divulgação)

Internamente, o debate é apontado como um termômetro das eleições presidenciais que acontecerão no fim deste ano. Em seu segundo mandato e, portanto, fora da disputa, Gilvan de Pinho Tavares lidera as articulações visando à mudança. Entre os pré-candidatos, César Masci já se posicionou de forma favorável, enquanto Zezé Perrella é contrário. Ainda sem candidato definido, o grupo de situação terá pela frente um xadrez embaralhado na comparação com o último pleito, vencido por aclamação.

Passo a passo da alteração

De acordo com os artigos 6º, 8º e 9º, a convocação de assembleia geral extraordinária, na qual é votada a proposta de alteração do estatuto, é atribuição do presidente do clube e feita por meio de edital publicado com antecedência mínima de 15 dias. Na votação, é adotado sistema de pesos: conselheiros beneméritos (seis), natos (cinco), conselheiros (quatro), suplentes (dois) e associados do clube social (um).

Nenhum comentário:

Postar um comentário