20/04/2017

Uma quarta-feira, nove verdades

Vinícius Dias

1) Derrotado pelo São Paulo, no Mineirão, por 2 a 1, o Cruzeiro perdeu a invencibilidade em 2017, mas garantiu vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil. Desde 1993, foi o sexto mata-mata em que a Raposa eliminou o tricolor. O time paulista levou a melhor apenas duas vezes.

2) Autor do segundo gol na vitória por 2 a 0, na ida, Hudson também teve papel decisivo no jogo dessa quarta-feira, que selou a classificação do Cruzeiro. Emprestado à Raposa pelo São Paulo, o volante liderou o quesito desarmes: segundo o Footstats, foram sete intervenções.

3) Em sete dias, Thiago Neves teve tês atuações decisivas com a camisa celeste. Nos duelos com o São Paulo, o meia somou um gol, uma assistência e a cobrança da falta que originou o gol contra de Pratto. O camisa 30 também balançou as redes no clássico contra o América.

4) Embora tenha sido eliminado, o São Paulo fez jus à proposta de Rogério Ceni e teve mais posse de bola no Morumbi e no Mineirão. O grande trunfo do Cruzeiro no jogo de ida, que garantiu a vantagem, foi não deixar o tricolor transformar o domínio das estatísticas em gols.

Thiago Neves marcou o gol celeste
(Créditos: Washington Alves/Cruzeiro)

5) Em noite pouco inspirada, o Atlético perdeu para o Libertad, por 1 a 0, em Assunção. A partida foi a nona como visitante contra equipes paraguaias. O retrospecto indica uma vitória, quatro empates e quatro derrotas. Em BH, são quatro vitórias e cinco empates em nove jogos.

6) O resultado no estádio Nicolás Leoz marcou o sexto tropeço alvinegro em dez jogos como visitante nesta temporada. Como mandante, o Atlético tem oito partidas e 100% de aproveitamento. Fora de casa, o time conquistou 46,7% dos pontos disputados.

7) Goleador da Copa Libertadores, Fred deixou o campo sem balançar as redes nessa quarta-feira. Foi apenas a quarta vez neste ano em que o atacante passou em branco. Com 16 tentos em 14 partidas, o camisa 9 lidera a artilharia entre os jogadores da Série A.

8) Mesmo derrotado, o Atlético não abriu mão de uma de suas principais características: a posse de bola. Na era Roger Machado, a equipe foi superada no quesito apenas uma vez: contra o Tombense, que teve a bola nos pés em 65% do tempo, segundo o Footstats.

Fred passou em branco em Assunção
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

9) Até o fim de maio, Atlético e Cruzeiro podem se enfrentar mais quatro vezes. Isso acontecerá se ambos se classificarem à decisão do estadual e, nesta quinta-feira, o sorteio colocá-los como adversários nas oitavas de final da Copa do Brasil - o Galo está no pote 1, a Raposa no 2.

5 comentários:

  1. O grande problema do cruzeiro e a saída para o contra ataque o time é lento e previsível. Ta faltando um armador de qualidade para fazer esta bola chegar mais rápido e com qualidade nos pés dos nossos atacantes.

    ResponderExcluir
  2. 10 - o Cruzeiro agora tem um goleiro que sai de soco nas bolas levantadas na área!
    11 - Cruzeiro x Atlético-MG também podem se enfrentar pela CopaSulamericana, é só o Cruzeiro passar o Nacional_Par que o sorteio pode fazer isso, rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  3. O maior problema do galo tem nome.
    Geovani

    ResponderExcluir
  4. O Roger, se passar pela urt, cai na final contra o Cruzairo.

    ResponderExcluir