31/05/2017

É preciso pensar grande, Cruzeiro!

Alexandre Oliveira*

Após decepcionar no início da temporada - perda do título estadual para o rival Atlético e eliminação para o Nacional, do Paraguai, na primeira fase da Copa Sul-Americana -, o Cruzeiro finalmente volta a viver um bom momento. A resposta para essa má fase tinha que vir na bola, e o time celeste está apresentando um futebol que pode não encher de brilho os olhos do torcedor, mas certamente está sendo preciso e cirúrgico.


O bom começo no Brasileiro mostra que a equipe finalmente vai se encaixando, e Mano Menezes vai conseguindo extrair o verdadeiro potencial de alguns jogadores. A volta de algumas peças importantes também contribuiu para esse crescimento de desempenho do time estrelado. Entre todos os jogadores que estão novamente à disposição do comandante, Ariel Cabral foi quem teve o retorno mais comemorado. O argentino tem feito boas partidas e controlado as ações no meio-campo celeste.

Thiago Neves: decisivo contra o Santos
(Créditos: Marcello Zambrana/Light Press)

Infelizmente, o Cruzeiro não terá a volta do meia Robinho para a partida contra a Chapecoense, na quinta-feira, válida pelas oitavas de final da Copa do Brasil. O meio-campista apareceria como uma boa alternativa, já que Arrascaeta será desfalque pelos próximos dois meses, mas ainda não está à disposição do treinador. Por sua vez, Thiago Neves tem intercalado péssimos jogos com boas apresentações. Resta-nos torcer para que o camisa 30 esteja em uma noite inspirada.

Duelo mais importante do ano

O confronto na Arena Condá será, até aqui, o mais importante da temporada para o Cruzeiro - os jogadores, pelo menos, precisam considerá-lo assim. Vimos na eliminação diante do Nacional, do Paraguai, um Cruzeiro apático, que pensou que chegaria à vitória sem maior esforço. Essa soberba, que custou caro à equipe estrelada naquele jogo, não pode estar presente em campo na noite desta quinta-feira.

Na ida, Cruzeiro derrotou a Chape
(Créditos: Washington Alves/Cruzeiro)

O clube catarinense vem se reestruturando após a tragédia na Colômbia e tem colecionado vitórias importantes - algumas delas valeram o inédito bicampeonato catarinense. Além do título estadual, a Chape tem vaga garantida na Copa Sul-Americana e é um dos líderes do Campeonato Brasileiro, superando Cruzeiro e Corinthians nos critérios de desempate. Liderança parcial conquistada com vitória convincente no clássico contra o Avaí, por sinal. É preciso estar atento.

Um bom resultado no Sul do Brasil é fundamental para que o Cruzeiro ainda consiga brigar por títulos em duas frentes. Elenco para disputar o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil, a Raposa tem. É preciso pensar grande, como é o Cruzeiro.

*Jornalista. Jogador no fim de semana, torcedor todo dia.
Titular do pagode e camisa 12 da seção Fala, Cruzeirense!

Um comentário:

  1. Parabéns! A sua visão como comentarista é a mesma da maioria dos torcedores que conhecem de futebol. Sabemos que o cruzeiro tem um elenco bom. As falhas acontecem de maneira individual. O Diogo Barbosa é um bom lateral, mas, é impreciso e inseguro, pois, às vezes cruza com eficiência e em outras ocasiões, vacila na marcação e quando está com a bola na área, falta-lhe coragem de chutar para o gol. A improvisação na lateral direita está prejudicada, haja vista, que o Romero não tem velocidade e não sabe marcar como um lateral. Toma muitas bolas pelas costas. Gostaria de ver o Raniel com mais chances.

    ResponderExcluir