01/07/2017

Não pode manter isso aí, viu, Cruzeiro?

Douglas Zimmer*

Salve, China Azul!

O Cruzeiro precisa parar com isso. Com o quê? Com isso de deixar o torcedor sem saber qual é o verdadeiro time que está em ação pelos gramados Brasil afora. Tem que parar de ser bipolar e definir de uma vez por todas por qual time a torcida deve esperar. Ninguém consegue dizer com 100% de certeza se o Cruzeiro de 2017 é o do primeiro ou o do segundo tempo do jogo contra o Palmeiras, por exemplo. Se é o do 0 a 2 ou o do 3 a 3 contra o Grêmio. É o que sofre contra a Chapecoense, em casa, ou o que bate o Santos na Vila Belmiro? Para mim, não é nenhum deles.


É evidente que eu prefiro que seja assim a ver sempre o lado ruim da história acontecendo. Mas o problema é que, com essa inconstância, o time acaba prejudicando qualquer análise mais profunda sobre o desempenho coletivo. Como no futebol o resultado é muitas vezes o parâmetro escolhido para a avaliação de um trabalho, posso afirmar que, até agora, o saldo é negativo. Muitos jogos horríveis, sem a menor inspiração técnica e sem desenvoltura tática, enfim, mais dor de cabeça do que motivos para sorrir.

Cruzeiro fez 3 a 0, mas Verdão empatou
(Créditos: Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro)

Sei que é difícil de aceitar esse tipo de análise, mas o melhor para o Cruzeiro seria começar a pensar em 2018 agora. Aí, talvez, possamos ter resultados à altura daquilo que a torcida espera e cobra. Não acho que seja hora de mexer no comando técnico ou de fazer grandes reformulações no elenco. O que eu gostaria de ver, por exemplo, são contratações pontuais para posições em que há carência comprovada - leia-se setor defensivo - devido ao baixo rendimento quando os titulares absolutos não estão à disposição.

Tendência de evolução no ano

Se der pra ajeitar a casa ainda neste ano, melhor ainda. Inclusive acho que a tendência é, sim, de evolução. Os recém-chegados já estão mais à vontade, as jogadas estão começando a sair, mas parece que às vezes o time começa a pensar em tudo, menos no que está acontecendo no gramado e desanda. Além disso, há horas em que parece que é só um setor ir se arrumando que o outro começa a dar sinais de que vai entrar em pane. A bola da vez é a zaga, mas nem sempre foi assim. É aí que entra o planejamento. A falta de homogeneidade na defesa é gritante, o que faz com que o time sofra a cada vez que um dos principais nomes fica de fora.

Time de Mano ainda não engrenou
(Créditos: Betto Jr/Light Press/Cruzeiro)

Não dá pra manter essa loucura de jogar bem 30 minutos por jogo, 15 minutos por tempo, um jogo por semana. Não tem quem aguente. Está na hora de fazer a leitura e a interpretação desses momentos bons e ver o motivo de terem sido tão proveitosos. Da mesma maneira, é dever e salvação desse grupo ver, rever e ver mais uma vez a quantidade de erros de postura, posicionamento, estratégia, animosidade, entre outros tantos, que, muitas vezes, acabam ofuscando os pontos positivos.

Defesa passa em branco, ataque também. Se o ataque voa e faz chover na área adversária, a defesa bate cabeça e frustra todo mundo. Não pode manter isso aí, viu, Cruzeiro? Tem que colocar o time todo em um grande acordo, com defesa, meio, ataque, com tudo, aí parava essa loucura que é a bipolaridade do time em campo.

Força, Cruzeiro!

*Gaúcho, apaixonado pelo Cruzeiro desde junho de 1986.
@pqnofx, dono da camisa 10 da seção Fala, Cruzeirense!

8 comentários:

  1. O melhor e mais pontual comentário sobre nosso CRUZEIRO, tomara que Mano e nossos atletas tenham conhecimento e acabem como bem realista foi ns. articulista - Basta de bipolaridade!!!

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o texto.Esse time atual do Cruzeiro nem quando faz 3 á 0 passa confiança a torcida.Difícil viu!

    ResponderExcluir
  3. Com esta zaga, infelizmente não vejo futuro promissor para o time. Acho o Caicedo bom jogador mas seu parceiro não ajuda. Leo não dá mais para ser zagueiro no Cruzeiro, muito, mas muito lento e na disputa de bola alta, perde a maioria. Murilo tem minha confiança mas não tem do técnico. Nosso banco é mediano.

    ResponderExcluir
  4. Concordo plenamente, porém, Caicedo foi quem participou dos três gols do Palmeiras. Dizem que está com problemas de saúde da mãe, mas, não sei até que ponto o time sentiu a saída do Lucas Romero ... Cada coisa que só acontece com o Cruzeiro. Eu também não trocaria o treinador e continuaria fazendo contratações pontuais.

    ResponderExcluir
  5. MÁRIO FILHO01 julho, 2017

    NÃO CONCORDO QUANDO CRITICAM SOMENTE A ZAGA , FUTEBOL DE HOJE É COLETIVO (NÃO ACHO OS ZAGUEIROS BONS JOGADORES ) , E SE O ATAQUE ESTA FUNCIONANDO MUITO BEM , BEM ATÉ DEMAIS , É PORQUE O TIME ESTA DESEQUILIBRADO , ZAGA , MEIO CAMPO E ATAQUE , O TIME TEM 4 JOGADORES QUE ATACAM MUITO PORÉM NÃO MARCAM E SOMENTE 1 VOLANTE DE MARCAÇÃO QUE É NO MOMENTO O ROMERO , UMA VEZ QUE O ARIEL É MAIS MEIO QUE VOLANTE E NÃO MARCA E ISSO SACRIFICA A DEFESA , QUALQUER ZAGUEIRO QUE ENTRAR NESSE TIME SERA SACRIFICADO .

    ResponderExcluir
  6. Comentário excelente!!! É este exatamente o meu sentimento com o time, desconfiança... tem muito potencial, mas não tem sequência. Tem resolvido mais na qualidade individual do que no sistema coletivo. Acho que hoje temos um time muito bom, mas não reposições preocupantes. so temos dois bons zagueiros (e estão machucados), e não dá pra jogar com rafinha, elber, bryan, lennon, henrique pra mim caiu muito...
    Emfim, podemos terminar o ano de forma positiva (titulo da copa do brasil ou ao menos vaga na libertas) ou de forma pífia, novamente vaga na sulamericana...nenhuma delas me surpreenderia!!!

    ResponderExcluir
  7. Concordo que o Cruzeiro deveria traçar uma estratégia para 2018, uma vez que o time atual não empolga.Está ganhando de 3XO do Palmeiras e cede o empate.O TIME não expira confiança, o negócio é começar planejar 2018.

    ResponderExcluir
  8. Como você disse, aconteceu tudo de novo, mas, com uma diferença, o Cruzeiro caiu no sono, dessa vez, ainda mais cedo.

    ResponderExcluir