16/01/2018

Aliados de Gilvan na Justiça por Conselho

Vinícius Dias

Prestes a entrar em campo pela primeira vez nesta temporada, o Cruzeiro segue longe de encontrar a unanimidade na política. Com a retomada dos prazos processuais em Minas Gerais na próxima segunda-feira, cresce a expectativa de um grupo de aliados de Gilvan de Pinho Tavares de dar novos rumos ao quadro de conselheiros efetivos para o triênio 2018/2020. A chapa Pelo Cruzeiro Tudo, Do Cruzeiro Nada, apoiada pelo então presidente, teve o registro indeferido para a eleição de 02 de dezembro.

Chapa apoiada por Gilvan foi indeferida
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Conforme o Blog Toque Di Letra apurou junto a um advogado ligado ao grupo, ainda em 2017 foram ajuizadas duas ações. A primeira pede a exclusão da chapa eleita, a Somos todos Cruzeiro, fruto da aliança entre Zezé Perrella e Wagner Pires de Sá. A segunda pede a anulação do pleito. À época, diante de liminar que suspendia a eleição, Gilvan de Pinho Tavares chegou a cancelar o edital de convocação. Com a revogação da liminar na sequência, no entanto, o pleito foi realizado com 539 votantes.

53 caras novas entre os efetivos

Em relação ao último triênio, quase 25% do quadro foi alterado - 53 das 220 vagas. Deixaram o Conselho nomes como o ex-vice de futebol Bruno Vicintin, o ex-superintendente da base Antônio Assunção; e o vice-presidente do Sada Cruzeiro, Alberto Medioli. Entre os novos efetivos estão Paulo César Freitas, ex-prefeito de Nova Serrana e candidato apoiado pelo clube na eleição da Federação Mineira de Futebol em 2014, e Renê Salviano, que deve assumir a diretoria de negócios internacionais da Raposa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário