16/03/2018

Atlético e Cruzeiro recebem última parcela

Vinícius Dias

Enquanto se preparam para as quartas de finais do Campeonato Mineiro, Atlético e Cruzeiro receberão, ainda nesta semana, cerca de R$ 4,1 milhões. O valor é referente à terceira e última parcela da cessão dos direitos de transmissão. Conforme o Blog Toque Di Letra antecipou, o contrato fechado até 2021 com valor inicial de R$ 36 milhões, com o reajuste previsto a cada temporada, chegou a R$ 37 milhões nesta edição.

Estadual paga R$ 12,3 milhões à dupla
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Donos das maiores fatias, Atlético e Cruzeiro ficaram com cerca de R$ 12,3 milhões cada. A primeira parcela foi paga antes da rodada de abertura do estadual, disputada nos dias 17 e 18 de janeiro, e a segunda em fevereiro. O América embolsou quase R$ 2,9 milhões, enquanto cada um dos nove representantes do interior recebeu uma cota entre R$ 850 mil e R$ 875 mil. A organizadora também teve direito a um percentual.

Placas alavancam arrecadação

Na primeira fase, entre TV aberta, fechada e pay-per-view, todos os jogos de América, Atlético e Cruzeiro foram transmitidos. No caso do interior, a grade de programação teve pelo menos três de cada equipe. As receitas com o torneio são alavancadas pelas placas de publicidade, cuja comercialização fica a cargo dos próprios clubes. Nos bastidores, a estimativa é de faturamento superior a R$ 100 mil por partida na capital.

2 comentários:

  1. Só pode ser brincadeira; e de mal gosto.
    Como pode haver competitividade com esse rateio?
    Tudo direcionado para beneficiar Atlético e Cruzeiro.
    Pobre futebol Mineiro.
    Pobre América e os falidos clubes do interior.
    Pior é a imprensa mineira se omitir e apoiar esse absurdo.
    Tudo em nome da audiência.
    Depois vexame no Brasileiro, onde a grande mídia (imprensa) apoia Flamengo e Corinthians.
    Pobre futebol Brasileiro.

    ResponderExcluir
  2. Isso é a verdade nua e crua, está certissimo.
    Essa mafia está em todos os nives da sociedade, o Brasil nunca será um pais equilibrado e com um futebol bonito de se ver.

    ResponderExcluir