22/08/2019

Aqui é o Cruzeiro! E o ano ainda não acabou!

Douglas Zimmer*

Salve, China Azul!

Em primeiro lugar, vamos deixar três coisas claras: Mano Menezes não é mais treinador do Cruzeiro, Rogério Ceni não fará milagres e o ano celeste ainda não acabou. Semanas muito turbulentas e com muitos golpes duros na torcida antecederam a importantíssima vitória conquistada no último domingo contra o atual líder do Campeonato Brasileiro. Um triunfo que vale muito mais do que os protocolares três pontos. Adicione ao lucro na tabela de classificação algumas doses de confiança, esperança e alegria.


Quando digo que é bom que o torcedor tenha claro que Mano não comanda mais a equipe posso soar rancoroso. Não é essa a questão. O caso é que será muito mais saudável para todos que lutam pelo bem da Raposa que não se façam comparações de trabalho, estilo de jogo, sucessos e fracassos entre quem saiu e quem está chegando. Mano escreveu seu nome na história do clube de maneira indelével e saiu da Toca da Raposa II pela porta da frente. A situação, como ele mesmo afirmou, se tornou insustentável devido ao baixo desempenho recente. Vida que segue. Meu muito obrigado pelos serviços prestados, meu eterno respeito, mas o ciclo acabou.

Thiago Neves e Fred brilharam no duelo
(Créditos: Vinnicius Silva/Cruzeiro E.C.)

Confesso que jamais imaginei que veria este cidadão trajando nossas cores e defendendo nosso clube. Mas, enfim, são coisas do futebol. É inegável que RC foi um exemplo de atleta e um colecionador de títulos. Sua carreira como treinador ainda não é extensa o suficiente para que possamos fazer projeções em longo prazo, mas a primeira impressão que eu tive é de um profissional que conhece muito bem o ambiente onde está, que domina aquilo que fala e que sabe o material humano que tem em mãos.

Estreia com o pé direito de Ceni

O jogo de domingo, apesar de atípico pelos mais variados fatores, foi uma benção para a torcida que estava com saudades de ver o time dominando o adversário, propondo o jogo, trocando passes e procurando o gol desde o começo da partida. A expulsão do zagueiro adversário logo no primeiro lance teve papel fundamental na construção do resultado, mas, de forma isolada, não necessariamente se transforma em vantagem. Gostei muito da postura do estreante da tarde, que não demorou muito a movimentar suas peças e instalar definitivamente nosso time no campo do Santos.

Novo treinador começou com vitória
(Créditos: Bruno Haddad/Cruzeiro E.C.)

A vitória conquistada diante de um Mineirão que recebeu belo público pode mudar a situação da equipe não só na tabela de classificação como também no conceito dos adversários daqui para frente. Vão olhar o Cruzeiro com outros olhos. Há não muito tempo nem o próprio torcedor celeste parecia acreditar na equipe. Com o início desse novo ciclo, é bom que ninguém duvide. Ainda temos quase quatro meses pela frente e em um par de semanas teremos uma decisão que, até semana passada, parecia perdida. Fique esperto, amigo leitor: o ano do Cruzeiro ainda não acabou. Temos muito o que trabalhar, progredir, torcer e, quem sabe, conquistar.

Força, Cruzeiro!

*Gaúcho, apaixonado pelo Cruzeiro desde junho de 1986.
@pqnofx, dono da camisa 10 da seção Fala, Cruzeirense!

4 comentários:

  1. Hehehe..é bom ler esses comentarios e duas semanas depois voce ve a salada promovida pelo novo Guardiola..é esses 4 meses prometem.

    ResponderExcluir
  2. Não acabou mesmo, vai acabar com o cruzeiro na segundona!

    ResponderExcluir