29/04/2012

A derrota do futebol arte

Vinícius Dias

Foram quatro temporadas de um baita trabalho, 13 títulos conquistados e apenas 21 derrotas. Josep Guardiola marcou época à frente do Barcelona. Fez ressurgir o jogo coletivo, as trocas de passes. Deu brilho ao esporte. Não se ateve ao futebol de resultados nem a - simplesmente - impedir que os adversários jogassem.

O ex-camisa 4 mostrou que o futebol bonito também pode ser competitivo, e que é possível aproveitar a 'base' em quantidade (em algumas partidas, nove jogadores formados nas canteras blaugranas atuaram juntos) e boa qualidade. Antes coadjuvante, o argentino Messi se transformou em gênio, eleito três vezes o melhor do planeta.

Além dele, Xavi, Iniesta, Sanchez, Mascherano, Busquets, todos em plena forma. O legado é enorme. Porém, em fim de contrato e eliminado da Liga dos Campeões, Pep, gênio da posse de bola, anunciou sua saída do clube ao término da temporada.

Talvez não represente o fim do ciclo. Mas é fato:
Pelo menos por ora, o futebol arte foi derrotado.

3 comentários:

  1. 4 anos que entraram para a história do futebol. Um time, um treinador e alguns jogadores que ficarão imortalizados como grandes artistas vencedores.

    ResponderExcluir
  2. ...e tenho quase certeza que esse vai ser o melhor time que vi jogar na minha vida!!

    ResponderExcluir
  3. Eu ouvi muita gente torcendo contra o Barça uma tremenda babaquice pois pra mim o futebol arte, bem jogado, com dribles e sem menosprezo ao adversário deveria ser sempre o vencedor. Mas o Barça mostrou para os que dizem que o futebol hoje e so correria que a tecnica ainda vence a força.

    ResponderExcluir