13/05/2014


Narrações de Osvaldo Reis, da Rádio Globo, vêm contagiando os
torcedores durante a trajetória da equipe estrelada no torneio

Vinícius Dias

Primeiro, na vitória ante a La U, em Santiago. Depois, na goleada sobre o Real Garcilaso, no Mineirão, que selou a classificação às oitavas de final. E, por último, no triunfo sobre o Cerro Porteño, em Assunção, que rendeu à Raposa a vaga nas quartas de final. A voz e a emoção de Osvaldo Reis, o Pequetito, da Rádio Globo, têm sido a trilha sonora das batalhas celestes pelo tri da Libertadores.


Da tradição dos bordões à inovação demarcada nas referências poéticas, Pequetito revela: o sucesso é resultado de uma preparação criteriosa. "Eu tenho procurado estudar muito os times que vão enfrentar o Cruzeiro, e também buscado alguns detalhes sobre a Copa Libertadores", observa o narrador, ao Toque Di Letra.


De Roupa Nova a Gilberto Gil, passando por Raul Seixas, Pequetito ainda tem adicionado um tom musical às transmissões esportivas. "Sempre uso frases de compositores mineiros e brasileiros", argumenta. "A mistura da narração com a música do nosso país vem dando certo e as pessoas têm gostado", afirma.

Repertório especial

Depois de o Cruzeiro passar em branco contra o San Lorenzo no jogo de ida, ele garante: vai levar na mochila um repertório especial para o duelo desta quarta, no Mineirão. "Tem uma coisa especial de dois compositores mineiros e de um cara que o Brasil inteiro gosta", conta. E antecipa: "um deles, é o Gonzaguinha".

A torcida azul espera que não falte o grito de gol, seguido de "Cruzeiro! Cruzeiro!". Afinal, a Raposa precisa de, pelo menos, dois para avançar no tempo normal.

2 comentários:

  1. A emoção de se ouvir os gols do Cruzeiro na voz do Pequetito não dá pra explicar.. Simplismente o melhor no ramo..

    ResponderExcluir