10/06/2014


Otimista, ex-ponta do histórico Siderúrgica de Sabará projeta
hexa em 2014, aponta Neymar como herói e se compara a Hulk

Vinícius Dias

A placa à mostra no mobiliário da sala da casa de Silvestre Martins, de 81 anos, remete à noite de 04 de setembro de 1965. Um dia antes de Buglê marcar o primeiro tento oficial da história do Mineirão, ele balançara, pela primeira vez, as redes do estádio, à época chamado Minas Gerais. Foi em jogo-treino ante o BanLavoura, time do extinto Banco da Lavoura. Ágil, o então ponta do Siderúrgica não teve dificuldades para bater o marcador e finalizar na sequência.


Quase 50 anos depois, o ex-jogador percorre as memórias. O brilho nos olhos acompanha a fala sobre o estádio de sua época. "Foi uma honra ter jogado na inauguração. Tenho várias lembranças". A expectativa marca o discurso sobre o Mineirão de 2014. "Ficou maravilhoso, estádio de Copa", opina Silvestre, com a certeza de que, neste ano, o mundo verá o estádio em que ele fez história.

Silvestre: titular no jogo de inauguração
(Créditos: Arquivo Pessoal/Silvestre Martins)

O otimismo do itabiritense não fica restrito ao Mineirão. Na opinião do ex-atacante, o país vai, enfim, comemorar o hexa. "Eu tenho a impressão de que o Brasil será campeão mundial novamente", observa o ex-camisa 8. "Neymar é, hoje, o melhor jogador. É habilidoso, joga muito", acrescenta Silvestre Martins.

Ao melhor estilo Hulk

Citado nos versos da história como atacante veloz, que ora atuava pelas laterais do campo, ora se atrevia a invadir a área do rival, ele, a princípio, recusa as comparações com os 23 de Felipão. Depois cede. "(Estilo) Hulk, talvez", diz. Seja ele, Hulk ou algum dos 200 milhões de brasileiros, o tom será o mesmo: vai, Brasil!

Um comentário:

  1. Silvestre foi craque. Muito modesto ele. Jamais Hulk vai servir nem para limpar sua chuteira. Abraços, Melane

    ResponderExcluir