22/10/2014

Priorizar ou não? Eis a questão!

Douglas Zimmer

Assim como aconteceu em 2013, o fim do ano se aproxima e, com ele, a expectativa pela conquista de mais um título cresce a cada dia que passa entre os torcedores celestes. A diferença é que desta vez a expectativa é em dose dupla. Diferente do último ano, o Cruzeiro conseguiu, apesar do susto ante o ABC, classificar-se para a semifinal da Copa do Brasil e está muito bem cotado para levar a disputa por mais essa conquista até onde suas forças permitirem.


A questão que aflige e divide a torcida celeste é: priorizar ou não uma das disputas? A nove rodadas do fim e com a diferença para o segundo colocado na faixa dos sete pontos, o clube ainda não pode se dar ao luxo de poupar fôlego e 'tirar o pé' no Brasileiro, até porque seus principais concorrentes seguem focados em garantir a permanência no G4 e, consequentemente, qualquer descuido do Cruzeiro pode fazer com que a tabela se torne mais embolada do que gostaríamos.

Cruzeiro: melhor mandante da Série A
(Créditos: Gualter Naves/Light Press/Textual)

Na Copa do Brasil, o líder do Brasileirão se credenciou a disputar uma das semifinais contra o Santos. A primeira partida será no Mineirão e acontece entre a 31ª e a 32ª rodadas, quando a Raposa encara Figueirense (fora) e Botafogo (casa), respectivamente. O duelo de volta será disputado na Vila Belmiro, entre a 32ª e a 33ª rodadas, quando o adversário celeste será o Criciúma, em casa.

Sequência difícil

Se não está fácil para a Raposa, tampouco está para o Peixe. O alvinegro praiano é hoje sétimo colocado no Brasileiro e, com a melhora no rendimento neste segundo turno, ainda sonha com uma vaga para a Libertadores de 2015. Os santistas vão enfrentar o Cruzeiro em Minas entre os confrontos com Chapecoense (fora) e Inter (casa). Depois, decidem a vaga em casa, antes do clássico contra o Corinthians (fora).

Pela Copa do Brasil, Cruzeiro bateu ABC
(Créditos: Nuno Guimarães/Light Press/Textual)

Caso o Cruzeiro relaxe no Brasileiro para entrar mais encorpado contra o Peixe, corre o risco de ver os adversários se aproximarem, ameaçando a liderança. Se o Santos tirar o pé, corre o risco de ver o pelotão do G4 se distanciar e as chances de classificação para a próxima Libertadores serem reduzidas a zero.

A força do elenco

Claro que as projeções são simples suposições. As circunstâncias podem variar, e muito, quando as próximas rodadas do torneio forem finalizadas. Com todo respeito aos adversários, mas o Cruzeiro tem total condição de se sair bem nas próximas quatro rodadas, quando enfrentará clubes que brigam para sair ou se afastar do Z4: Palmeiras (14°), Figueirense (13°), Botafogo (18°) e Criciúma (19°).

Ricardo Goulart: reforço ante o Palmeiras
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Textual)

Hora de ver o poderio do elenco que, para grande parte das pessoas que acompanham o futebol brasileiro, é o mais qualificado e o que possui mais condições de manter o nível de atuações apesar dos desfalques. A isso se soma o retorno de atletas importantes que estavam afastados, seja por lesões, seja por convocações para a seleção. Temos um prognóstico bem animador.

Raposa favorita

Pode soar como prepotência de minha parte, mas particularmente acredito que o time pode, sim, jogar as duas competições para vencer. É como se fosse uma corrida só. Marcelo Oliveira sabe que, indo bem em uma, terá a tranquilidade para treinar e fazer o possível para também ir bem na outra. Já nesta quarta-feira, o desafio continua diante do aflito Palmeiras. O jogo acontece às 19h30, no Mineirão.

O Cruzeiro terá, entre os relacionados, as voltas de Ricardo Goulart e de Dagoberto, vindos do DM, de Nilton, que retorna de suspensão, além do lateral Breno Lopes, contratado junto ao Paraná. Para começar o duelo, a única mudança deve ser a volta de Goulart, recuperando a movimentação que tanto fez falta nos últimos jogos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário