04/03/2016

Quando tá valendo, tá valendo...

Alisson Millo*

Em 2013, um gênio decretou que "quando tá valendo, tá valendo". Esse pensador moderno foi o maior camisa 10 da história do Galo e explicava o momento vivido pelo time no primeiro semestre de 2013: o Atlético havia batido o São Paulo nas oitavas de final da Libertadores e comemoraria o título Mineiro diante do rival Cruzeiro, em maio, após tropeços em abril. Hoje, depois de quase três anos, o cenário apresenta várias semelhanças com aquele - que tal se tiver o mesmo final?


Com Aguirre, os reservas alvinegros têm ganhado chances e minutos de jogo. Mas bastaram algumas atuações ruins desse time 'alternativo' para que surgissem críticas ao treinador. Eliminação da Primeira Liga e terceiro lugar no estadual, certamente, não é o que o torcedor queria no início da temporada, mas todos concordam: a prioridade é a Libertadores... e no torneio continental, o Atlético vai muito bem, obrigado! Líder do grupo, a equipe titular pode não encantar, mas as vitórias têm vindo e, a princípio, os três pontos são o que importa.

Time titular tem 100% na Libertadores
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Quando é o time principal - e tá valendo! -, a campanha agrada. Em sete jogos, foram seis vitórias e apenas uma derrota, doída por ser contra o Flamengo. Analisando friamente, impossível ver um retrospecto ruim. Com Juan Cazares e Robinho regularizados, a tendência é que o time melhore e talvez Patric volte à sua posição de origem, a lateral direita, encerrando a maior queixa da torcida - uma vez que nem mesmo a maioria que apoia o técnico aguenta mais o 'Patricão da Massa' improvisado no ataque, ainda que seja a preferência do atleta.

Chances aos reservas e jovens

Falando nisso, é comum ver torcedores cobrarem para que o Campeonato Mineiro seja aproveitado para testes de reservas e jovens jogadores. E é justamente o que Aguirre tem feito. O zagueiro Tiago, por exemplo, já foi utilizado mais vezes do que em todo o ano passado. Eduardo ganha cada vez mais confiança do treinador e tem atuado frequentemente no meio de campo alvinegro. Pablo foi bem contra o Boa Esporte e deve ganhar mais chances na sequência.

Aguirre: exagero nas críticas ao técnico
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Minha avaliação é de que as críticas têm sido exageradas, principalmente com dois meses de trabalho. Porque não ter mais paciência e dar tempo para o uruguaio trabalhar, uma vez que ele provou ser bom de serviço no Internacional, dando um nó em Levir na Libertadores passada e revelando ótimos jogadores? Aguirre promete repetir o sucesso no Atlético. Porque, quando tá valendo, tá valendo... 

*Jornalista. Corneteiro confesso e atleticano desde 1994.
Goleiro titular e atual capitão da seção Fala, Atleticano!

4 comentários:

  1. Dito a verdade que venha os frutos do trabalho e que a torcida possa comemorar!!

    ResponderExcluir
  2. Pablo de OLiveira04 março, 2016

    Sou Atléticano e acompanho e gosto muito do seu trabalho, participo muito no seu blog e quem diria gostaria de deixar uma sugestão de post para o seu blog sobre o Tite, sim aquele mesmo que em 2005 ajudou a levar o Galo para serie B.
    10 ANOS se passaram e ele se tornou o melhor técnico do Brasil.
    E o que é bom de ser copiado não é mesmo até o Dunga se rendeu ao esquema 4-1-4-1
    Agora o que eu espero é que o Aguirre se renda também e arme o Galo nesse esquema pois tem tudo para dar certo quer ver:
    Corinthians 2015:

    Cassio
    Fagner, Felipe, Gil, Wendel
    Ralf
    Jadson, Elias,Renato Augusto, Malcon
    Vagner Love
    Corinthians 2016 o Corinthians sofreu um desmanche perdeu 6 titulares mas se mantém competitivo pois o Tite manteve o esquema veja:

    Cassio
    Fagner, Felipe,Yago, Wendel
    Bruno Henrique
    Giovanne augusto, Rodriguinho, Elias (Guilherme), Lucca (Danilo)
    André (Luciano)

    Trocou as peças mas o sistema continuou o mesmo, resultado Corinthians só perdeu para o Galo até agora na Florida Cup.

    Agora vamos implantar esse sistema no Galo:

    Victor
    Marcos Rocha, Leos silva, Erazo, Douglas Santos
    Rafael Carioca
    Luan, Cazares, Robinho, Clayton
    Lucas Pratto

    Individualmente acho as peças do Galo bem melhor que o Corinthians campeão Brasileiro 2015 e muito superior ao de 2016.
    Mas não temos um Tite, resta saber se o Aguirre consegue implantar esse esquema com a mesma eficiência do Corinthians do TITE

    Saudações

    Pablo de Oliveira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por acompanhar, Pablo!

      Concordo com a sua observação: Tite, hoje, é o melhor técnico do futebol brasileiro. Bem à frente dos demais, acrescento.

      Quanto ao esquema sugerido para o Atlético, me parece uma boa alternativa para jogos em que o time tiver de buscar o resultado ou precisar ocupar melhor os espaços no campo ofensivo.

      Porém, a princípio, não adotaria como esquema principal. As peças do Corinthians, como Rodriguinho e Elias, participam de forma mais ativa do processo defensivo do que as do Atlético. Atingir o equilíbrio, na minha visão, não seria tarefa tão fácil.

      Abraço.
      Vinícius Dias

      Excluir