10/01/2017

Ano novo, tudo quase igual no Atlético

Alisson Millo*

Ano novo, tudo quase igual. Foi assim que o Atlético se reapresentou para 2017, que esperamos que seja melhor que o decepcionante ano anterior. A única grande mudança, e certamente a mais necessária, está no banco de reservas, na figura de Roger. Ele terá a missão de dar cara de time ao que fechou 2016 como um amontoado de bons jogadores.


A princípio, parece fácil. Afinal, craque se adapta a qualquer lugar, mas Robinho, Fred, Pratto, Cazares, Rafael Carioca, todos perdidos em campo sem um conjunto acabou por custar o ano do Galo que, mesmo com tanto investimento, terminou sem nenhum título - a Florida Cup não conta - e deixou muitos torcedores desesperançosos. Muitas críticas ao trabalho da diretoria e nenhuma paciência com várias peças do elenco deram o tom no fim de 2016 para o Atlético.

Rafael Moura: alternativa para o ataque
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

A janela se abriu - e veio mais descrença. As saídas de Junior Urso e, principalmente, Leandro Donizete deixaram uma lacuna no meio-campo e nenhuma reposição ventilada agradou. Além disso, todas as especulações foram por água abaixo e, até agora, nenhum reforço para a posição veio. Contratações mesmo só Felipe Santana, zagueiro experiente com carreira feita principalmente na Alemanha, e o lateral-esquerdo Danilo, ex-América. Rafael Moura qualifica o ataque, mas se trata de uma posição em que não havia carência anteriormente.

Saídas e chegadas em pauta

Se a bola ainda não rola, as notícias que vêm são rumores de saídas de jogadores, o principal deles sendo Lucas Pratto para Palmeiras ou China. Pelos valores especulados, há boa chance de o clube colocar dinheiro em caixa e buscar reforços para as posições mais necessárias, como volantes, zagueiros e laterais. No momento, o grande alvo da diretoria parece ser Marlone, que chegaria para disputar posição com Otero, Cazares, Clayton, Carlos e Hyuri. O Corinthians recusou a primeira oferta, mas pelo visto o assunto ainda rende na Cidade do Galo.

Atlético manteve as principais peças
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Que o time sub-23 que jogará a Florida Cup revele bons valores, porque o mercado está bem parado para um time que disputará tantas competições importantes no ano. O torcedor está mal acostumado com as temporadas recentes e outro ano sem títulos seria imperdoável para um time de tanto investimento e jogadores renomados.

*Jornalista. Corneteiro confesso e atleticano desde 1994.
Goleiro titular e atual capitão da seção Fala, Atleticano!

2 comentários:

  1. Esse ano o Galão estará no topo. Marcelo estava perdido no comando do time.

    ResponderExcluir
  2. CONCORDO COM VC, MARCELO OLIVEIRA PEGOU UM TIME PRONTO E BAGUNÇOU TUDO!
    ACHO QUE O ROGER VAI DAR UMA CARA NOVA AO GALO, O QUE PRECISAMOS É DE 02 VOLANTES TOP DE LINHA E MAIS UM ZAGUEIRO!

    ResponderExcluir