Cruzeiro, um clube de poucos e de interrogações

Vinícius Dias
Publicada em 20/05/2020, às 11h05

Dezembro de 2016: contratado por empréstimo junto ao Al-Wahda, dos Emirados Árabes, por US$ 500 mil, o volante Denílson se despede do Cruzeiro com apenas cinco partidas disputadas. Maio de 2020: em meio à pandemia do coronavírus, cinco meses após o trágico rebaixamento, o torcedor celeste acorda com a notícia de que o clube iniciará a Série B com seis pontos negativos em razão do não pagamento. Notícia que explica o passado, o presente e deixa interrogações sobre o futuro.


Porque a receita líquida de R$ 329,1 milhões em 2017, último ano da era Gilvan, não foi suficiente para quitar a dívida gerada na temporada anterior. Porque os R$ 373,5 milhões arrecadados em 2018 não foram bastantes para que a gestão Wagner Pires de Sá fizesse jus à promessa de austeridade. Porque o Conselho Gestor, administrativamente brilhante, sempre tateou no futebol. Mas principalmente porque nesta quinta-feira o Cruzeiro elegerá seu novo presidente, que em dezembro já poderá ser ex, sem que uma efetiva democratização do clube entre em pauta.

Às vésperas do centenário, Cruzeiro vive crise
(Créditos: Bruno Haddad/Cruzeiro E.C.)

No pior momento da quase centenária história apresentada às glórias pelos ídolos Raul, Tostão e Dirceu Lopes e relegada ao vexame pela administração passada, menos de 500 decidirão em nome de mais de oito milhões. Gente que sequer é sócio do futebol dará as cartas, enquanto aos mais de 54 mil cruzeirenses que se associaram e contribuem mensalmente restará, no máximo, torcer e sofrer, verbo que os últimos meses transformaram em regra. No silêncio, sem voz nem vez. Como ontem, como hoje e, muito provavelmente, como também será após a eleição.

Em meio à crise, fala-se mais em eleição do que em solução.
No marketing, do povo. No mundo real, um clube de poucos.

12 comentários:

  1. So me resta queimar minhas camisas, pq meu time ( e meu amor, minha esperança...) Está acabado! Minha vontade era fazer isto amanhã, na sede durante a votação. Mas vou me abster de mais esta vergonha, pessoal e pro clube.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, não faça isso. Eu sou atleticano e sofri com meu time, viajei mais de 1000 km de ônibus pra ver um empate. Isso vai passar, por mais que não pareça. O Parma foi obrigado a decretar falência, voltar pra última divisão, mas já está na primeira com todo orgulho. Pode ser o mesmo caminho do seu time, mas ele não vai voltar a ser grande como sempre foi se seus torcedores não ficarem unidos. É um casamento, na riqueza ou na pobreza. Vai passar, com certeza! Grande abraço!

      Excluir
    2. Cruzeirense que so quer ser cRuzeirense na boa pode queimar a camisa mesmo e sumir.

      Excluir
  2. O Cruzeiro esporte clube é muito maior do que todos essas que por lá passaram..

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente para nós cruzeirenses, política interna do clube esta semelhante a politica no país. Os interesses na verdade são apenas para defender a si proprio em detrimento do todo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não torço para o cruzeiro, entretanto, seu comentário está corretíssimo. Infelizmente os dirigentes são da pior laia possível.

      Excluir
  4. O grande problema dessa crise que vive esse gigante do futebol é que Minas pode sim deixar de ter um representante da magnitude do Cruzeiro. Amado e querido em todo continente por milhões..... É de fato uma pena que algo pior possa acontecer e que o estado de Minas fique sem a força do clube de grandeza inigualável nas alterosas.

    ResponderExcluir
  5. Pena que se não tomar cuidado, vai se juntar à Portuguesa, ao Juventus da Rua Jamari e ao América do Rio.

    ResponderExcluir
  6. O único GIGANTE de Minas vai voltar mais poderoso como sempre foi

    ResponderExcluir
  7. O triste como torcedor, é ver um clube da grandeza do Cruzeiro, ser saqueado, ser mau gerido, ser levado a cair para série B, e não ver ninguém responder pelos danos causados a instituição, ou seja impunidade e corrupção parece que continua dando as cartas no país !!!


    ResponderExcluir
  8. Também sou atleticano e apesar de zoar os cruzeirenses, no fundo no fundo, não fico feliz vendo a situação do Cruzeiro. Ter um adversário grande é sempre motivo para a gente querer ser grande e consequentemente enquanto um estiver um degrau abaixo ficaremos sem compromisso.

    ResponderExcluir
  9. Terrível, terrível, terrível!!!

    ResponderExcluir