28/01/2020

Atlético fecha parceria para mapear reforços

Vinícius Dias

O Atlético acertou recentemente uma parceria com o portal Rede do Futebol. Com isso, o clube alvinegro agora conta com um banco de dados com mais de 400 mil jogadores do Brasil e do exterior cadastrados. Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, os serviços serão utilizados, em especial, pelo departamento de futebol de base, encabeçado por Júnior Chávare. A empresa gaúcha é referência no segmento desde 2014.

Atlético já tem quatro reforços em 2020
(Créditos: Bruno Cantini/Agência Galo/Atlético)

Por meio da plataforma, é possível monitorar as movimentações nas janelas de transferências, gerar relatórios e avaliar estatísticas de desempenho dos atletas selecionados. O sistema ainda inclui informações detalhadas sobre contratos e registros dos atletas no Boletim Informativo Diário - BID. Entre os clientes do Rede do Futebol estão Grêmio, ex-clube de Chávare, o arquirrival Cruzeiro e o Athletico/PR, atual campeão da Copa do Brasil.

Acordo inclui mecanismo da Fifa

Além do banco de dados, o pacote contratado pelo Atlético conta com um software desenvolvido para potencializar as receitas advindas do mecanismo de solidariedade da Fifa. A ferramenta automatiza o processo de identificação de transferências de atletas revelados pelos clubes. Conforme as regras da Fifa, 5% do valor das negociações internacionais é destinado às agremiações pelos quais o jogador atuou entre 12 e 23 anos.

26/01/2020

Galo começa bem! Mas se melhorar não estraga

Alisson Millo*

Comemore, torcedor! O Galão voltou! Mais do que isso: voltou com vitória. O placar magro pode incomodar, mas no primeiro jogo da temporada a parte física pesa muito mais e, enquanto teve pernas, o Atlético jogou bem. O esquema com dois 'segundos volantes' deu mobilidade ao meio-campo, sem expor muito a defesa, principalmente no primeiro tempo.

O Uberlândia vem de uma preparação muito mais longa, por isso se impôs fisicamente na segunda metade da partida, mas a boa atuação dos três cabeças de área alvinegros e as limitações técnicas do adversário garantiram os primeiros três pontos desta temporada. Um dos poucos destaques positivos de 2019, Jair manteve o nível, Allan estreou bem e Zé Welison teve atuação discreta, o que vindo dele já é um avanço.

Além de Allan, outro que começou bem no Galo foi Hyoran. Aberto pelas pontas, ele criou e se movimentou bastante. Gabriel reestreou e atuou bem ao lado de Rever. Mas o destaque do jogo foi Michael. O goleiro, de 24 anos, fez sua estreia pelo profissional e, logo de cara, pegou um pênalti para garantir a vitória. Fora o lance decisivo, ele se mostrou tranquilo e pareceu não sentir a pressão de vestir a camisa.

Fábio Santos marcou gol da vitória alvinegra
(Créditos: Bruno Cantini/Agência Galo/Atlético)

Mas, claro, nem tudo são flores. Então, hora da corneta. Sim, logo na primeira partida do ano. As laterais foram nulas, de ambos os lados. Fábio Santos fez o gol, mas cometeu um pênalti e, de mais a mais, pouco acrescentou. A provável chegada de Guilherme Arana deve ser oficializada para ontem, porque a ala esquerda é bem carente. Na direita, Patric foi Patric. Com a ausência de Guga, que já nem é tão bem quisto assim, era uma boa chance de vermos o que Mailton tem a oferecer.

Outro ponto a ser analisado é a presença de Maicon em campo. Sem relembrar o apelido incoerente. Dudamel está conhecendo o grupo, então está perdoada a substituição, mas o atacante apresentou o futebol que lhe é característico, mal pegando na bola e quase pondo tudo a perder no fim. Quem também continua mal é Di Santo. O argentino que não marca gols honrou sua característica principal e foi figura decorativa.

Por falar no setor ofensivo, uma ausência foi bastante sentida na estreia - e talvez seja um desfalque definitivo. Com propostas do exterior, Cazares está com um pé fora do Galo e não entrou em campo contra o Uberlândia. Com a eminente saída do camisa 10, chance para Hyoran se firmar, Bruninho ganhar espaço e Borrero ser lapidado. Entretanto, fazendo exercício de futurologia, Otero deve sair em vantagem por estar mais adaptado.

O primeiro passo foi dado. Neste ano serão muitos. E nossa expectativa é de que todos eles sejam para frente, sem o sofrimento do ano passado, sem os altos e baixos que marcaram nosso 2019.

*Jornalista. Corneteiro confesso e atleticano desde 1994.
@amillo01 no Twitter, capitão da seção Fala, Atleticano!

24/01/2020

Jovem do Cruzeiro na mira do futebol europeu

Vinícius Dias*

Emprestado ao Villa Nova para a disputa do Campeonato Mineiro, o atacante Zé Eduardo, que pertence ao Cruzeiro, é alvo do mercado europeu. Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, um clube da elite de Portugal manteve contatos com familiares do potiguar, de 20 anos, em busca de informações sobre a situação contratual no clube celeste. 

Zé Eduardo é alvo de clube português
(Créditos: Gustavo Aleixo/Cruzeiro E.C.)

Inicialmente, a intenção dos portugueses é conseguir a liberação sem custos, uma vez que Zé Eduardo está fora dos planos de Adilson Batista. No acordo, o Cruzeiro, que detém 80% dos direitos econômicos, manteria um percentual. Familiares do atacante aguardam a formalização do interesse para iniciar as tratativas com a Raposa por meio do agente André Cury.

Atacante descarta ida à Justiça

Contratado após marcar sete gols pelo Visão Celeste/RN na Copa São Paulo de Futebol Júnior, Zé Eduardo foi um dos artilheiros do sub-20 celeste no ano passado, com oito gols. Mesmo com valores a receber referentes a férias, FGTS e salário de janeiro, o atacante, que tem vínculo até o início de 2023, inicialmente não cogita acionar o Cruzeiro na Justiça.

*Atualizada às 19h20

23/01/2020

A vitória do Cruzeiro e da vergonha na cara

Vinícius Dias

Cruzamento de Maurício, da esquerda, para o estreante Thiago cabecear para as redes e abrir o placar aos 18' da etapa inicial. Primeiro gol do Cruzeiro em uma temporada que também começou com o pé direito de Welinton. Arrancada em velocidade, aos 41' do segundo tempo, para completar para as redes o contra-ataque que começou com Maurício e ainda passou por Judivan. 2 a 0 sobre o Boa Esporte no Mineirão. Vitória com dez pratas da casa em campo. Vitória com a marca do novo Cruzeiro.


Porque, se o segredo do estadual é duvidar das potenciais qualidades e acreditar nos defeitos demonstrados diante de times mais frágeis, analisar a equipe de Adilson Batista requer ainda mais cuidados. Compreender o que existe de Cruzeiro em 22 de janeiro é compreender o que certamente não existirá daqui a um mês: Rodriguinho, camisa 10 da estreia, dificilmente seguirá; João Lucas, Éverton Felipe e outros chegarão; Vinícius Popó, uma das principais revelações recentes da base, será testado.

Raposa estreou com o pé direito
(Créditos: Bruno Haddad/Cruzeiro E.C.)

Gestão de expectativas em relação aos jovens que empolgaram nessa quarta-feira e amanhã tropeçarão em meio à transição a fórceps será essencial para o Cruzeiro e para o cruzeirense. Se mais à frente o tricampeonato que o clube não alcança desde 2002/2004 pode virar sonho, a única missão no estadual, inevitavelmente, é avançar a reconstrução dentro de campo. Chegar a abril com um rascunho de time para a Série B. Mas a estreia, mais do que potenciais qualidades, indicou um caminho.

2019 foi o ano do rebaixamento do elenco mais caro do país.
Mas 2020 começou com brilho nos olhos e vergonha na cara.